15 março 2015

Tudo impecavelmente bem na fotografia

Ficar bem na foto

Piadas com os dias do fim e desafios mentais

Ver o 1º ministro defender uma melhor aplicação dos fundos europeus enquanto se imagina um enorme letreiro neon por cima da cabeça a piscar cintilante onde se lê em gordas...

TECNOFORMA

Que melhor forma de aplicar fundos europeus que a ascenção a 1º ministro?

Na plateia os olhares entrecruzavam-se num misto de terror, desgraça e vergonha alheia perante as palavras de alguém que definitivamente tinha esquecido a segurança social...
Não sabia quem era, nem o que fazia ali.
O láparo estava visivelmente engulhado e embrulhado numa tremenda incongruência.

A filiação na lista VIP das finanças, os descontos (e o respeito!) com a protecção social.

Um governo à deriva moral, cumprindo ordens sem questionar por simples perrice ideológica.

Depois de deixar a economia nacional e o mercado interno bem devastado e a classe média bem espremida em favor da banca e finança global.

Paulo Portas continua seguindo o plano do Futre em busca do "melhor chinês" para importar ou oferecer um visto gold.
António Costa aplaude, já se sabe que quando há um chinês por perto, "Portugal fica logo melhor"

Portugal ficaria ainda melhor na fotografia, se na próxima Paris Match viesse uma reportagem com o presidente Cavaco e sua esposa Cavaca, almoçando na varanda do palácio de Belém, voltados para a praça do império e os Jerónimos, enquanto desfrutavam de um tinto Baga da Bairrada.

E grita o 1º ministro com o letreiro tecnoforma na cabeça:

"Qual Varoufakis, qual carapuça... Radicais de esquerda a beber vinho branco sob a Acrópole, a viver acima das suas possibilidades enquanto deviam honrar os compromissos assumidos."- abandonando o balcão da segurança social.

César das Neves algemado a uma parede, grita por estacas e fogo, sacrifícios humanos, ferros em brasa e rituais 50 shades of Grey, para lhe expiar o pecado do corpo.

Portugal está muito melhor, está sol, há alegria, amor e esperança.

Pedro Lomba antevendo a jactância da Primavera que se avizinha, pretende atrair os jovens que emigraram com um programa chamado VEM e que Portugal já acrescentou um vigoroso "TE".

Mas na próxima Paris Match vem a Baga da Bairrada, palavra de Cavaco.

Baga da Bairrada

17 fevereiro 2015

Portugal não é a Grécia, mas podia ser...


Pedimos desculpa, a UE segue dentro de instantes, só ninguém sabe bem para onde...

É muito bonito, quando milhões de pessoas seguem à força o pensamento único escorrido das torres de marfim de Bruxelas, pelos não eleitos produtores de euros e respectivos promotores do dito.

Mas e se alguém ousar discordar, do pensamento único austeritário? 

É o que está a acontecer neste momento com a Grécia, que DEMOCRATICAMENTE, elegeu um governo que até agora só tem dado que falar e lançado o pânico nos defensores do pensamento único... Porque adivinhe-se, há sempre múltiplas soluções para qualquer problema!

... Mesmo que isso tire os almoços grátis à Alemanha, os paraísos fiscais das multinacionais no Luxemburgo do presidente da comissão europeia Juncker, dos subornos de armamento do ministro das finanças alemão Schauble ou o sono ao presidente do eurogrupo Djisselbloem...


Nesta ronda de negociações do eurogrupo, os tecnocratas queriam estender o programa da Grécia por mais 6 meses, ganhando tempo para burocratizar ainda mais o processo de recuperação grega (ao qual acresce juros e sobre o qual se pode ainda especular), o governo grego considerou a proposta inaceitável... 

Na mesma reunião, Portugal vê aprovado o pedido para devolução antecipada de 12 mil milhões ao FMI... E a comissão liquidatária a que chamamos de governo, recebe assim a sua comissão antes de se despedir nas eleições legislativas de Setembro.
"Assumir os compromissos assumidos" com o FMI é bonito, só tenho pena é que não funcione com o BES nem com os primeiros ministros Pedro e Paulo.

Nisto tudo há ainda uma série de variáveis complexas, que os tecnocratas da finança ignoram...

  • A Ucrânia que ainda não deixou de ser Rússia, mas já é UE, já "apeada" com um empréstimo multimilionário, prestes a receber armas dos EUA.
  • O apoio da Rússia ao cenário Grexit, sabendo que a saída da Grécia do euro abre um precedente sujeito a repetições.
  • Os pipelines e gasodutos de abastecimento do centro da europa, desviados da Ucrânia para a Grécia.
  • A não anuência grega pode inibir as sanções à Rússia.
  • A Grécia possui os portos europeus, mais próximos do canal de Suez com ligação ao oceano Indico.

A crise das dívidas soberanas mostrou que a distribuição de moeda única feita exclusivamente através da banca e da concessão de empréstimo é um fracasso.

As multimilionárias ajudas externas, ficaram retidas na banca, que utilizaram esses montantes para camuflar os maus investimentos e desvios, como o caso BES e o dinheiro que se esfumou para Angola ou em papel comercial da Rio Forte e que afundou a PT, com a conivência de governantes e reguladores, cuja missão é confiscar propriedade privada.

Claro que o nosso governo é contra o Syriza, Passos, Portas e Cavaco estão nos antípodas de tudo o que representa a autodeterminação de um povo, subjugado aos dislates alemães e dos tecnocratas europeus como simples funcionários de uma mercearia, governando contra os poucos que os elegeram, de forma autista, cruel e autoritária.

Mas Portugal não é o único país nesta situação, aqui ao lado em Espanha o Podemos, posiciona-se à frente nas eleições legislativas de Outono...
Em França, a extrema direita sobe com o mesmo afã perante os atentados do Charlie Hebdo e a islamização intensiva do país...

E mais são as vozes que se levantam, contra o pensamento único, contra a austeridade do jugo económico, fiscal e bancário, mas sobretudo contra a Alemanha e os países do norte, o centro do eurostate para onde fluem todos os recursos com o Mecanismo Europeu de Estabilidade à cabeça, mais um órgão da ganância eleito por ninguém para garantir o controlo sobre os "endividados".

Ainda é cedo para falar da actuação grega, talvez estejam a ganhar tempo para reunir mais apoios e consensos no seio europeu, sendo que os EUA não querem perder o país para a Rússia...
Os EUA que passaram por algo semelhante na sua guerra civil de norte e sul.

A UE enfrenta um desafio político de peso onde a sua própria sobrevivência e manutenção é posta em causa, pela primeira vez em muitos anos, os fanáticos da austeridade, encontraram radicais anti austeridade.

Numa europa onde o negócio é o empréstimo, a usura e a especulação, dizer stop a isto é um dever.

O Syriza teve coragem para o fazer e aqui reside o perigo... 
Nunca um número tão significativo de europeus se sentiu tão representado como agora.

Para quem está preocupado com os 1100 milhões que emprestámos à Grécia, demos 10x isso para o BPN e outro tanto para o BES, só deus sabe quanto vai para manter as PPP, em juros de 2014 demos 7x o que emprestámos à Grécia e em 2015 vamos dar 15000 milhões.

Além da fiscalidade verde, deviam ter inventado a fiscalidade azul, para taxar os sacos azuis.

Volto a frisar, ainda é cedo para tirar conclusões, mas para já os gregos estão a ser uns heróis para os povos da europa, sobretudo os do sul em situação similar, com a engendrada crise das dívidas soberanas.

Há algo de poético, na histórica determinação da resistência grega ao domínio alemão.
Portugal não é a Grécia, pois não! Mas em certos aspectos até devia ser...

P.s- Grécia, desculpem o nosso governo, ele nunca representou Portugal ou os interesses dos portugueses... O programa eleitoral era fictício e como tal os representantes eleitos ilegítimos.

12 fevereiro 2015

10 Frases VACOG



Um exercício de escrita simples onde a premissa chave é incluir todos os sistemas de representação VACOG( Visual, Auditivo, Cinestésico, Olfactivo e Gustativo), na mesma frase.
Deixo-vos 10 frases, com este recurso de Programação Neurolinguística.


1- Os meus olhos ouvem o calor, os aromas e o paladar do faustoso repasto.

2- O sabor do perfume entranhava-se na minha pele como um murmúrio de luz e sombra.

3- Ouço o vento fustigar as minhas feições, enquanto o vejo convidar os aromas do Outono para um baile incessante, um rodopiar de folhas e sabores térreos.

4- Um ponto de vista, ouvido na rádio e sentido como verdade absoluta, mas que cheirava a esturro e sabia a bispo bem esturrado do fundo da panela.

5- O agridoce eriçava-lhe as papilas, um agradável cheiro a rosas trazia-lhe o som de música clássica e cores pastel.

6- Sinto a música, vejo-a e quase lhe sinto o cheiro e o sabor.

7- A Primavera, traz a vida, a luz, os sons dos pássaros, os aromas das flores, os sabores da paixão e as alergias do pólen.

8- Abro os olhos pela manhã, depois de ouvir o som ácido do despertador, está frio lá fora, mas cá dentro cheira a café.

9- O Ferrari vermelho libertou um ronco do motor tão potente, que deixou a assistência ávida de mais um pouco daquelas baforadas de gasolina queimada e sons graves que arrepiavam a espinha.

10- Tudo aquilo que vês, ouves, sentes, cheiras e provas, ajuda-te a construir a tua versão da realidade, pois cada um de nós vive a sua própria versão de "mapa do mundo".

Podemos querer um carro alemão sem gostar da Merkel?


Como qualquer bom português, dentro ou fora do governo, quero o meu carro alemão...
É como uma condição sine qua non do comunismo português, todos crescemos a ouvir os pais dizerem: "Cresce filho, para quando fores grande teres o teu carro alemão".

Eu pessoalmente escolhi um modesto Mercedes, para levar a família, com uma bagageira espaçosa, caso seja necessário transportar alfaias agrícolas ou animais de pequeno porte, como uma porca prenha ou uma vitela, se não é para estas coisas que temos um Mercedes então, porra, o que é que levamos nós desta vida!?

Claro que existem outras marcas (BMW, Audi, Porsche, VW), de acordo com as preferências de cada um.

Mas até o Volkswagen que significa o "carro do povo", requer pertença à lista do swissleaks para poder adquirir um...
O benemérito governo comunista português, sorteia Audis para o povo todas as semanas, que para ir a sorteio leva cada 10 euros de facturas à troca por um cupão... E depois é rezar muito em frente à TV para que saia.

Claro que se for nomeado para um cargo, uma supervisão, uma embaixada, um banco (novo ou velho tanto faz...), um ministério ou uma secretaria de estado, o sacana do carro alemão está incluído e um bocadinho melhores do que os da factura da sorte... Porque 23% de cada factura da sorte serve para comprar os fantásticos pópós aos amigos alemães.

Ora o preço do modelo que escolhi, equivale a uns 100 salários mínimos, o que significa que ou trabalho 15 dias seguidos sem pausas, ou telefono directamente ao amigo Stock da Cunha, e peço ao novo banco uma cunha para me aumentar o stock e vou buscar o meu pópó alemão...

O IVA, o ISV (sobre o IVA), o seguro, O IUC (que não é o único imposto pago para circular, porque há portagens e ISP) e todas essas alegrias do regime comunista burocrático, fazem com que tenha de pedir o dobro para pagar um carro que vale menos de metade. E pagar o dizimo à mãe Alemanha por disponibilizar tão faustosos pópós para circularmos no regime comunista da baixa Lisboeta, sem sermos multados por não termos a data da matricula condizente com a estação do ano.

A todos aqueles que não gostam da Merkel, não terão um pópó alemão pago pelo erário público, (Vejam os exemplos de Vitor Gaspar e Bruno Maçães, que defendem a senhora com unhas e dentes e Alemanha como se fosse a sua ditosa pátria enquanto andam nos seus pópós germânicos, ah pois é amiguinhos...)

E não duvidem que é necessário gostar um bocadinho da Merkel para ganhar a factura da sorte, porque aqueles audis todos não vêm para Portugal comunista, sem endividamento externo e comissão interna.

Mas temos que honrar os compromissos assumidos...
Um carro alemão para cada português!


30 janeiro 2015

Lista de portugueses em Bilderberg


Bilderberg é uma reunião anual que junta secretamente personalidades de vários quadrantes.
A segurança é apertada, o aparato é grande e a discrição alta demais para se tratar de sessões de chá das 5 para ricos e poderosos.
No sentido de esclarecer o público acerca das posições consertadas entre muitos destes actores.
Deixo-vos a lista (actualizada) de presenças portuguesas nas reuniões do "think tank" Bilderberg: 

II República

Marcello G.N.D. Mathias,(1963)

Manuel R. Espirito Santo Silva (1966, 1972)

Alberto Franco Nogueira (1967, 1968, 1970, 1972)

III República

José Medeiros Ferreira (1977, 1980)

Vítor M.R. Constâncio (1978, 1979, 1988)

Pinto Balsemão (1981, 1983, 1984, 1985, 1987, 1988, 1989, 1990, 1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014)

Jose P. Luiz Gomes (1981, 1983)

Rogério Martins (1982)

Alexandre de Azeredo Vaz Pinto (1982)

Bernardino Gomes (1983)

André Gonçalves Pereira (1984)

Emílio Rui Vilar (1984)

José Manuel Torres Couto (1985) 

Ernâni Rodrigues Lopes (1985)

Artur Santos Silva (CEO BPI) (1986, 1999)

Leonardo Mathias (1986)

José Eduardo Moniz (1987)

Fernando Faria de Oliveira (1987, 1994)

Francisco Lucas Pires (1988)

Rui Machete (1989)

Jorge Sampaio (1989, 1999)

António Guterres (1990, 1996, 2005)

João de Deus Pinheiro (1990)

Carlos Monjardino (1991)

Carlos Pimenta (1991)

António Barreto (1992)

Roberto Carneiro (1992)

Nuno Brederode dos Santos (1993)

Miguel Veiga (1994)

José Cutileiro (1995)

Luís Mira Amaral (1995)

Maria Carrilho (1995)

António Vitorino (1996)

Margarida Marante (1996)

Ricardo Espírito Santo Salgado (BES)(1997, 1999)

António Borges (Goldman & Sachs) (1997, 2002)

José Manuel Galvão Teles (1997)

Vasco Pereira Coutinho (1998)

Miguel Horta e Costa (1998)

Marcelo Rebelo de Sousa (1998)

Joaquim Ferreira do Amaral (1999)

João Cardona G. Cravinho (1999)

Marçal Grilo (1999)

Vasco de Mello (Grupo Mello VP) (1999)

Murteira Nabo (PT)(1999)

Nicolau Santos (Expresso)(1999)

Teresa Patrício Gouveia (2000)

Guilherme d' Oliveira Martins (2001)

Vasco Graça Moura (2001)

Elisa Ferreira (2002) 

Durão Barroso (2003, 2005, 2013)

Ferro Rodrigues (2003)

Santana Lopes (2004)

José Sócrates (2004)

Nuno Morais Sarmento (2005)

José Luís Aguiar Branco (2006)

Augusto Santos Silva (2006)

Leonor Beleza (2007)

Rui Rio (2008)

António Costa (2008)

Manuela Ferreira Leite (2009)

Manuel Pinho (2009)

Teixeira dos Santos (2010)

Paulo Rangel (2010)

Clara Ferreira Alves (2011)

António Nogueira Leite (2011)

Luis Amado (2012)

Jorge Moreira da Silva (2012)

Paulo Portas (2013)

António José Seguro (2013)

Paulo Macedo (2014)

Inês de Medeiros (2014)

25 janeiro 2015

O "radical" da esperança

Um "radical" eleito, contra "radicais" não eleitos
O Syriza, um partido de esquerda (coisa rara num mundo de direita, ganhar a esquerda), ganha previsivelmente as eleições na Grécia...
Digo previsivelmente, porque depois dos comentários de Frau Merkel a ameaçar a impossibilidade de eleger perigosos "radicais" anti austeridade e gentios fartos de sacrificar tudo pelos juros da Bundesbank, era como se já estivessem eleitos...

O controlo de massas nos países do sul do eurostate, pode perfeitamente ser feito por uma súmula de opiniões diametralmente opostas às de Angela Merkel...
Basta que a alemã diga o contrário do que pensa, para se verificar o que deseja!

Ainda é muito cedo para tecer qualquer tipo de consideração ao governo de Tsipras.
Mas a esperança de algo diferente, depois de correrem todo o espectro político e se provar que os designados socialistas (na Grécia chamam-se PASOK), não são afinal, suficientemente de esquerda os marotos para enfrentar o eurostate.

Sabemos que o tempo flui em circulos e por isso:
O Nazismo, foi o nacional socialismo do pleno emprego, derivado de uma plena crise capitalista da banca!
Hollande ganhou as eleições em França, aclamado como um tempo de viragem em política europeia, coisa que nem as suas vivências extra conjugais conseguiram incendiar...
Numa Europa que aprova o que lhe apetece, com lideres eleitos por ninguém e tratados aprovados pelo vácuo e recriação do oculto, prestes a expelir quantidades enormes de euros, numa disenteria desenfreada de Mario Draghi e que tanta falta fazem nos países do sul capturados pelos temíveis mercados, com o falso argumento da divida, da insustentabilidade e arrematando as joias a troco de nada...
Fica a questão:
Será esta mostra de democracia na Grécia anti imperial suficiente para travar o plano, ou parte do plano em si?

Hoje ganhou a esperança... Amanhã não sei!

16 janeiro 2015

Liberdade Segura

Do além, os autores do Charlie Hebdo respondem perante a actualidade

Numa semana apenas, a Europa surge pejada de terroristas por toda a parte.
Os rótulos "terrorista", "jihadista" e outros são suficientes para se retirar a vida a alguém "no questions asked"... Sempre a bem da segurança dos povos, check points por toda a parte e militares anti terror com a mesma farda dos perpetradores do terror dos atentados do Charlie Hebdo.
Nada diferencia uns dos outros...
O slogan Je suis Charlie, que indiciava não ter medo do terrorismo, denuncia precisamente o contrário, num patriot act europeu...
Quando temos como exemplo o resultadão que deu nos EUA, após o 11 de Setembro.

A opinião pública legitima tudo quando é levada a pensar na barbárie à porta de casa, numa guerra permanente, combatendo um inimigo inexistente e sem rosto.

Donald Trump, twittava... "Se estivessem armados no Charlie Hebdo, tinham pelo menos tido uma chance de se defenderem", "desarmando toda a gente, só os terroristas tem armas"... Perante as evidências, não consigo discordar totalmente destas afirmações.
E quem arma os terroristas, são os mesmos que se mostram zelotas da segurança e do anti terror.
O humor, que sempre foi uma arma social poderosa para dizer as verdades, é agora encaixotada, porque segundo o papa chico não podemos ofender a fé dos outros, nem que os outros acreditem em macacos voadores, em elefantes cor de rosa ou se ofendam com a facilidade de uma boneca de porcelana, fazer piadas é que não... Pode ser perigoso e lá está o medo outra vez, camuflado na boca de sua santidade o papa.
Respeitinho é bom e caricaturas com o papa, tantas vezes visado pelo Charlie Hebdo, é que não!

Porque todos sabemos que as palavras ofendem muito mais que tiros, raids terroristas ou raids anti terroristas... E tem o perigoso poder de fazer pensar, enquanto um tiro acaba com isso de uma vez só.

Algures no percurso evolutivo da humanidade do século XXI, achou-se que utilizar o humor é uma arma mais gravosa que as respectivas armas com que se tira a vida indiscriminadamente utilizando apenas o rótulo sem rosto de terrorista ou jihadista...

A Europa já lançou a sua fatwa à liberdade de expressão, ao humor e à liberdade de circulação.

Depois dos últimos anos de austeridade, terreno propício à proliferação de "ismos" em barda e onde muitos já se questionavam acerca do real propósito da UE, este episódio revela bem as cores patentes no eurostate.

No Charlie Hebdo sabiam-no, tiveram razão desde o inicio e por isso deram a vida... O sistema instrumentalizou-os de uma forma que os próprios em vida nunca teriam permitido!
Numa semana, a Europa monta o cenário perfeito para o cidadão comum abdicar de suas liberdades em prol da segurança.
Quando ambas nunca foram garantidas pelos estados...