05 outubro 2015

O resultado legislativas 2015

Este é o resultado final das legislativas 2015

Depois de meses de desinformação generalizada, comentadores laranja, jornais tendenciosos, perfis do Facebook falsos a minar as redes sociais e uma campanha eleitoral suja e desprovida de conteúdo, eis os resultados das legislativas 2015.
Uma vitória magríssima para a coligação Portugal à frente, com o apropriado e jocoso acrónimo Paf.
O PS envolto em divisões internas, indecisões e com muitos rabos presos, não conseguiu capitalizar o descontentamento popular em votos, os eleitores não reconheceram credibilidade suficiente a Costa para o eleger, depois do mesmo afastar Seguro apoucando as suas vitórias nas autárquicas e europeias...

Um exemplo claro de como funcionam as leis do karma.

Quem capitalizou o descontentamento foram os partidos de esquerda, o bloco foi o vencedor indiscutível deste acto eleitoral, a CDU teve uma subida mais ligeira e até o PAN tem direito à sua estreia parlamentar com 1 deputado por Lisboa.

E é isto que Portugal precisava, um governo com pouca confiança dos eleitores, um governo de minoria, que obrigue a negociações interpartidárias, onde cada partido seja explícito nas suas intenções dizendo ao que vem... Na prática será um passo doble de engonhanço até às presidenciais, já daqui a 3 meses.

O Marcelo comentador já anunciou a sua candidatura, enquanto comentava uma sondagem que lhe dá quase 50% das intenções de voto para presidente.
Será que irá restituir o feriado do 5 de Outubro? Ou será um presidente ausente das comemorações do regime ao qual preside?

Os cenários são imensos, mas a coligação paf prefere formar um governo débil e anémico com apoio presidencial do que nunca mais sentar el culo no poder...
O PS está em alvoroço, com muitas facções (especialmente Seguristas) pedindo a cabeça de Costa, que não se demite, que dificilmente se coligará à esquerda e que prefere acossar o executivo até à oportunidade de uma moção de censura, ou inviabilização de um orçamento... Alguém gritará ingovernabilidade e haverá outra ronda de legislativas.

Para já os mercados estão satisfeitos, não resvalamos para os perigosos radicalismos gregos e ficámo-nos pelos perigosos radicalismos subservientes a Bruxelas e Berlim, em regime de protectorado alemão com as emissões marteladas.

Vamos viver tempos políticos muito interessantes, duvido que o PS esteja disposto à "união das esquerdas", simplesmente porque o PS de Costa com imensos "rabos presos" há muito que deixou de ser um partido de esquerda e a direita capitaliza o desacordo das esquerdas na perfeição irrevogável de um CDS que teria desaparecido fora do paf.

Quanto às presidenciais, o PSD terá que engolir Marcelo enquanto que Guterres seria a melhor aposta do PS.
Muita água e desinformação rolará em televisões e jornais afora, na prática a coligação viabilizará o que o PS deixar e aqui reside o perigo.
Se colaborar demais com a coligação paf, o PS deixa fugir o seu eleitorado para a esquerda, se não colaborar é responsável pela dita ingovernabilidade, um caminho cheio de ratoeiras para Costa que além de não se demitir terá que lidar ainda com os assaltos ao poder de dentro do PS.

Vai ser giro de ver, vou fazer pipocas, é uma tragico comédia em 3 actos, porque na prática pouco mudará.
Tempo de armadilhas e facas longas.

Sem comentários:

Enviar um comentário