07 janeiro 2014

As formas do verbo Eusebiar

Descansa em paz, Pantera Negra

Eusebiar-

Forma verbal referente a Eusébio, usar do nome de Eusébio abusivamente "ad nauseum"

A única pessoa a quem pedi um autógrafo até hoje, foi o pantera negra, tinha 16 anos e o marcador preto traçou a data e assinatura, numa foto do plantel do Benfica da época.

O que tenho visto nos últimos dias, acerca da partida deste senhor, raia a loucura da excessiva mediatização.
O trajecto do estádio da Luz para a Câmara de Lisboa e volta para o Lumiar, uma fogueira de vaidades pouco respeitosa para com a família do herói.
Homem humilde, cedo se tornou herói de Portugal, ícone do Estado Novo de águia ao peito, elevado a representante de Portugal além fronteiras.
Político transversal (assumindo à semelhança do nosso presidente, pouco perceber do assunto) oriundo do estado novo, passando pelo prec, pela democracia e aproveitado até agora na hora da sua partida pelo federalismo europeu.
Eusébio foi sempre alguém capaz de galvanizar as multidões, trazê-las a um estado emocional próprio, com vertente aglutinadora.
Excepção feita à deselegância de Mário Soares, afirmando que o pantera negra era pouco culto e apreciador em demasia de whisky... Algo que o meu amigo Daniel viria a sintetizar de forma brilhante:

"Os velhinhos, são como as crianças... Sem filtro!"

Não se percebe a retirada de cachecois de outros clubes por parte do Benfica da sua estátua em frente ao estádio da Luz...
Um simbolo nacional não é de um clube, mas o clube devia ter tido a honra de ter um craque que é simbolo nacional...
Tal era o poder do Pantera Negra, que unia adeptos de diversos clubes em honra à paixão pelo desporto e à emoção com que envergava a camisola da selecção, reforçando uma identidade muito própria do slogan do estado novo "orgulhosamente sós".

Agora o Panteão Nacional, onde Amália aguarda o Pantera e os simbolos icónicos de um país de outrora se juntam.

Na assembleia discutem-se os 50 mil euros da transferência (um termo mais futebolístico que "trasladação") para o Panteão, algo que qualquer assento daquela casa consegue facilmente entre um aval e uma avença, uma comissão ou legislação...

A verdade é que nunca tantos Eusebiaram como nos últimos 3 dias, 3 dos 4 canais em sinal aberto.
Um desespero, no desaparecimento de um ícone de um tempo que se está a repetir com o mesmo aproveitamento emocional do estado da nação, tal como outrora... Agora!

Em suma, Eusebiar não remete para uma acção positiva.
Já o Homem por detrás do verbo, será recordado com saudade pelos seus feitos.

Descansa em Paz

Sem comentários:

Enviar um comentário