13 setembro 2013

A extraordinária viagem do conhecimento

Toth ensina os hieróglifos ao Egipto
Existe todo um conjunto de sabedorias antigas espalhadas pelo mundo, que derivam de um mesmo saber primordial, esta "sabedoria" espalhou-se pelos quatro cantos do mundo e adquiriu as formas, cores e sabores dos lugares por onde foi passando.
Actualmente esses saberes ainda existem e são praticados por muitos, em religiões, cultos, seitas e sociedades secretas, o antigo Egipto é ainda um lugar de muitos mistérios por desvendar, e é lá que residem algumas das explicações para os saberes primitivos...
Mas as terras de Khem (antigo Egipto) foram apenas uma simples etapa na evolução da humanidade...

Ensinam- nos livros de história a teoria evolucionista de Darwin, mas não explicam a aparição da escrita cuneiforme na Babilónia, é que a idade estimada para o Homo Sapiens é cerca de 200 mil anos quando a escrita cuneiforme surgiu em 3500 a.c...

Depois disto, foi um " a ver se te avias" e 5500 anos depois estamos em plena era da informação...
Mas o que aconteceu durante aqueles 194 500 anos de Homo Sapiens antes da escrita?

Bom, a bíblia refere o evento do dilúvio algures entre 10 mil e 12 500 anos e há teorias que referem a Arménia como o local onde a arca de Noé encontrou terra firme.
Ligeiramente abaixo se encontra o crescente fértil, entre os rios tigre e eufrates, onde proliferou a agricultura, a escrita, e uma proto sociedade... A Suméria, rapidamente seguida da Babilónia, Assíria e Egipto.

De igual modo as religiões se dispersaram com os cultos Indo Iranianos de Mithra que adoravam um touro (algo que moisés viria a condenar mais tarde ao descer do monte com os 10 mandamentos e cujo simbolo era o carneiro pelo episódio de Abrãao, seguindo-se peixes como simbologia de Jesus, se repararem Touro, Carneiro e Peixes são signos do zodiaco por ordem inversa, segue-se a universalidade do signo aquário...) e do outro lado os neters egipcios, influenciavam a Grécia e Roma antiga e politeísta.
Enquanto a libertação dos judeus do Egipto e mais tarde da Babilónia cimentava o monoteísmo reforçado pela inclusão da crença cristã no Novo Testamento...

Jerusalem, Meca, Petra, Gizé, Luxor, Abu Simbel são exemplos de locais onde essa sabedoria antiga está explícita de forma exotérica e visível...

As cruzadas, próximas do ano 1000, forçou uma mescla de saberes entre templários e o islão profundo e nessa troca de conhecimentos, os templários entraram em contacto com a sabedoria antiga e trouxeram-na até aos confins da europa, até à peninsula ibérica... Quem sabe essa sabedoria fosse a ARCA da ALIANÇA.

Seguem-se os descobrimentos, a perseguição da igreja aos saberes ocultos, os autos de fé com a Espanha à cabeça com a inquisição... E do outro lado do mundo num novo continente constituem-se os Estados Unidos da América, fundado por peregrinos...A partir de NEWARK (Nova Arca!?).
Tal como Santiago de Compostela era peregrino e trouxe consigo o conhecimento do oriente para o ocidente. (A Arca!?)

Quem nunca acatou as ordens da igreja foram as diversas correntes fundadas na europa durante o renascimento...
Sendo a Alemanha um dos locais onde a alquimia tem mais adeptos em continuo ao longo da história...
E claro, a maçonaria nas suas versões francesa e anglosaxónica, todos se baseiam no conhecimento hermético do deus Ibis representado na figura, também conhecido como Hermes, Mercúrio, ou Toth.
Antigo sacerdote mor da Atlântida, antes do dilúvio da arca de Noé...
Para onde viajará o conhecimento do 3 vezes grande em seguida?

É simples... Tornar-se à global!

Claro está que níveis de consciência acima do nosso podem ser considerados deuses, mas subindo infinitamente alguém segura no pendulo de Foucault, que significa que o politeísmo está acima da humanidade e abaixo do monoteísmo e da figura do criador, como que uma zona de comunicação entre o material e o divino e que se designa de demiurgo.

O reino das subtilezas do(s) espírito(s)







Sem comentários:

Enviar um comentário