14 junho 2013

Jesus é o Senhor... Não pode ser multado

Jesus Cristo à semelhança da Nossa Senhora de Fátima, aconselham o presidente

Depois do slogan "vai estudar Relvas", surge o natural "vai trabalhar Cavaco"...

Vai trabalhar... E ele trabalhou! 
O resultado, 1300 euros da carteira de um cidadão normal que provavelmente precisava deles para comer.

 O trabalho é considerado o produto da força exercida pelo deslocamento produzido e o co seno do angulo formado entre as duas forças anteriores...

O jovem de Elvas multado em 1300 euros por mandar o presidente trabalhar, foi vitima do seu próprio desejo, numa materialização quase instantânea ao melhor nível do génio da lâmpada (fundida).

O presidente trabalhou, aplicou a força da polícia no mesmo sentido do deslocamento a Elvas, sendo assim o co seno do ângulo zero graus, é igual a 1...
Resulta que o trabalho (presidencial) é igual a 1300 euros de encaixe IMEDIATO.

Ao aplicarmos esta fórmula de física simples ao país, temos que o trabalho do presidente no que diz respeito ao encaixe de multas provenientes de pessoas que o mandam trabalhar, pode ser uma das soluções para o défice do estado.

Em cada português há um pseudo insulto presidencial à espera de soltura...
Todo um novo mercado por descobrir.


Cavaco trabalhou em modo sumaríssimo, a justiça foi célere (ou ausente!?) e o perigoso meliante instigador do trabalho levou coima de 1300 euros...

Miguel Sousa Tavares chamou palhaço ao presidente e nada aconteceu, ofendendo palhaços de forma mais vil, do que o próprio presidente e nada, a não ser pagode...
Verificar o regular funcionamento das instituições e a legalidade constitucional é treta, não pode ser trabalho.

Cavaco faz discursos sobre a agricultura que desmantelou alegremente no passado.
Um deputado do PCP apresenta o almanaque Borda d´água ao ministro Álvaro, para ajudar Gaspar na previsão do tempo para o próximo trimestre, risada geral!
Assunção Cristas está de graças... E provavelmente outro desdobramento no executivo para breve, muito ao género do inexistente ministério Relvas, que se multiplicou em dois como a liderança do bloco.
A agricultura está na agenda e a mitose de ministros e secretários de estado idem.

Portas eclipsou-se, Seguro já foi ao beija mão, Passos tem os dias contados...
Resolvida a questão da liderança do PS.

Nas autárquicas a data foi marcada em acordo "NIM" para finais de Setembro, a maior feira de emprego dos últimos 2 anos...
Tudo a leilão por votos, com os partidos em desvantagem para os independentes.
Um teste para a balança democrática e sobre o qual há expectativa.

"O tempo do investimento", é slogan de pré campanha para as legislativas.
O Cherne vem recambiado de Bruxelas para ser presidente...

Vai ser giro... Ide, ide trabalhar!


Sem comentários:

Enviar um comentário