19 junho 2013

I.Magi.Nation- Uma nação de mágicos

Vi esta imagem primeiro na net... E depois em todo o lado

Portugal é uma nação de mágicos...
A prová-lo o próprio nome do país, o porto do Graal, o cálice sagrado da última ceia e que confere a vida eterna  à nação, por mais troikas, invasões ou impérios que venham por aí, seremos sempre nós, portugueses únicos e genuínos comunitários globais de 1ª ordem no mundo, daí o nosso posicionamento geográfico como porta da Europa e cais para os 5 continentes.

Serão porventura muitas as nações que cobiçam os nossos feitos, a nossa história, o nosso património e o nosso país...
Mas desde o Império Romano, que a Lusitânia (Terra de Luz), "não se governa e nem se deixa governar", não por detestar a ordem, mas por amar a Paz e a tranquilidade dos esquemas não impositivos, onde o bom senso, o respeito, a honestidade, a confiança e a verticalidade são características a preservar.

Seguindo as coincidências provenientes da intuição, encontro-me nos lugares mais estranhos deste e doutros reinos, pensando e reflectindo sistematicamente, como foi possível, numa nação de mágicos, ter-se deformado a palavra do modo a que assistimos hoje...

A exponencialização da palavra tornou o discurso banal, e assim a cada vocação surge respectivo efeito no mundo real dos mágicos.

Deixo-vos alguns exemplos...

As greves são instrumentos de contestação social em democracia, já que pouco ou nada se pode fazer pela via legal criada pelos indivíduos que recebem a cruzinha no cheque em branco...
Nuno Crato preocupado com os alunos e os exames, tanto que propôs que os mesmos fossem realizados em ginásios, tal a preocupação... Ainda tentou virar professores contra alunos.
Mas a mandar os jovens emigrar, com 18%  de desemprego e muito mais precários, o único inimigo de Portugal, é o próprio governo.

A JSD quer saber quanto do orçamento rectificativo (aprovado exclusivamente pela santa aliança dos magos da Opus), cabe aos sindicatos...
Eu quero saber quanto do dito rectificado orçamento cabe à JSD...?

O presidente mandado trabalhar em Elvas pelo 10 de Junho depois de ter tido equivalência a palhaço por alturas da feira do livro, fala de respeito pela agricultura cavando buracos, nenhum deles tão fundo como o BPN, nenhum deles tão grave como o da agricultura... Mandaram o homem trabalhar, em dois dias Cavaco promulga a reposição do subsidio de férias... Em Novembro, que deve ser o equivalente do Verão de 2013...

A ministra do Ambiente, gravidíssima que está, nem para si mesma é uma boa bruxa, ao deixar a Monsanto livremente por Portugal espalhando culturas alteradas geneticamente sabe-se lá com que efeitos e permitindo toda a espécie de pesticidas que exterminam abelhas... Irá dar à luz no estrangeiro certamente.

Rui Rio, aproveitando a desculpa da lei dos feriados fez o gosto ao dedo e suprimiu caridosamente o feriado de São João na noite mais longa do Porto... Depois de entaipador, fanático de pópós, agora Rui Rio é também desferiador... Qualquer dia vai ao rio e pronto, lá fica, como o cântaro que tantas vezes vai à fonte!

Portas já anda em modo "marcha atrás", não falo do lobby gay, mas do IRS...
Há eleições a vencer e a popularidade dos auto proclamados legítimos anda pelas ruas da amargura...

Sai um relatório das PPP´s, arrasa- se o governo Sócretino, mantêm-se a secretária de estado do tesouro que assinou os swaps da Refer como administradora e os pagou à JP Morgan como secretária do tesouro...

A JP Morgan, que inundou Portugal de produtos financeiros tóxicos, mas que agora recebe parte substancial da economia real nacional, através dos embrulhados contratos que elaborou do Moedas e de Gaspar.
JP Morgan que irá assessorizar a privatização dos CTT.

Gaspar, que pôs 300 mil a pagar Imposto único de circulação (IUC), mesmo não sendo o único imposto que se paga para circular, entupiu as repartições de finanças.
As finanças não dão conta do recado, os portugueses também não...
Mas podiam chamar-lhe IPS, Imposto Porque Sim, era mais correcto e verdadeiro do que a designação de imposto único.

Tudo isto deriva de uma absoluta relativização da verdade, sem qualquer moral, onde o autismo dos governantes é característica fundamental para se manter em funções.

Se isto a que assistimos hoje não é magia ao mais alto nível, então não sei o que será...
Esta distorção de conceitos, onde o presidente, governo e maioria fazem revoluções e Durão Barroso grita da cadeira dos não eleitos da Europa "reaccionários", enquanto lhe preparam uma guia de marcha de regresso à nação valente e imortal.

As ordens, congregações, capelas, agremiações, cultos, tertúlias, rituais ou simples estilos de vida desmultiplicam-se de forma a responder ao flagelo de oportunidades que o primeiro ministro se proporcionou, dizendo que eram para nós...

São muitos os mágicos, druidas e magos da nação que se escondem por detrás do pano, planeando em segredo o próximo número de ilusionismo, o próximo feitiço, ignorando por completo a regra tríplice do karma da retribuição, mas nem todos os magos são criaturas pérfidas ou sedentas de poder.
Muitos desejam apenas viver felizes e realizados no Porto do Graal, na terra da Luz.

E é por isso que um dia, tal como no Brasil hoje, 20 cêntimos bastarão para virar a nação de mágicos do avesso e escorraçar a perfídia lesiva do dolo comum perpetrado pelas instituições que se dizem legitimas, esses antros negros da burocracia excessiva.

Esse dia está cada vez mais perto... E sente-se!





Sem comentários:

Enviar um comentário