22 abril 2013

A Poesia Burgundi

Chateau Petit-Mouta - Cuvée Grand Mouta 2005

É desnovelando os enleados do coração
Que se percebe que o amor é sempre solução.
Nas emoções residem as respostas,
e sobre a razão se fazem as apostas!

É o alcoólico liquido burgundi.
Que emperra a lingua ao mesmo tempo que a solta.
Enquanto nos faz olhar um céu, lapis lazuli
E atrai tudo todos à nossa volta...

Com o olho brilhante de rapina e o espirito elevado
Sem a compressa do futuro
Desfrutando o presente fascinado e maravilhado
Correndo andando, depressa me depuro

Liquido mágico, elixir da juventude
Que confere aos homens a ligação divina
A máxima ampliação da fortitude
E o desnovelo da espessa cortina

Tudo segue a ordem implícita
Mesmo sem o (querer) saber
É a fenomenologia da ordem lícita
De tudo poder Ser

Tamanha grandiosidade
Implica fervores de paixão e amor
Repletos de humildade e generosidade, por tamanha responsabilidade
Da simples consciência de tão grande valor

De todo o imenso infinito síncrono
Sou presenteado incessantemente
Grato ao grande mestre, inconfundível barítono
Por tudo o que revela e que de mim faz gente
 
É a força das palavras, que confere potência
Aos novos mundos, dimensões e universos
Numa proporcional, exacta e precisa cadência
Redesenhada em tons de Burgundi nestes versos...

Se eu fosse,
Já era!
Como sou...
...Assim estou

Sem comentários:

Enviar um comentário