15 janeiro 2013

Burning bright fire


Descendo ao mais profundo do centro energético emocional, existem biliões de recolecções de vozes, cores, aromas, pessoas, lugares, frases, emoções e imagens.
É como ver a própria vida em filme, fazendo rewind e fast forward pelos frames ou saltando de secção como um simples DVD.
Quantas vezes não ouvimos a expressão " que a vida dava um filme"?
Pois bem... cada um de nós é a estrela protagonista do seu próprio filme.
Escolha o seu género favorito e viva no presente, sempre grato pelas experiências que erigiram a estrutura do guião que está a representar, entusiasta pelas novas linhas que criará no futuro, as novas falas e os novos personagens...
Sob que pretexto e em que circunstâncias será o tópico da ocasião?
É simples, escolha...

Esta semana foram descobertas novas imagens de galáxias e planetas, mas aquilo que os nossos satélites e telescópios captaram foram apenas imagens de locais do universo à distância de milhões de anos luz, no passado portanto, a viagem de um fotão entre incontáveis fotões pelo cosmos, de uma galáxia para a lente de um telescópio e aí traduzido em impulsos eléctricos numa representação visual perceptível à mente humana...

Tal como essas imagens, que demoraram eternidades achegar face à longevidade da experiência humana.
Sinto, também eu, que vim de muito longe, de há muito tempo e que apesar de ser sempre o mesmo, sinto que o não sou...
Vejo em cada pessoa, reflexos de mim... Passado, presente e futuro, fundidos, refundidos e espelhados.
E na forja dos reflexos do exterior, fundem-se as polaridades e trabalha-se a espada interior, qual verdadeira excalibur da alma, que permite desbravar a mais primitiva das emoções e decompô-la em fragmentos infinitamente pequenos ou brandi-la corajosamente para trilhar novas conquistas.
Nesse paraíso interior existe tudo o que se possa imaginar ou conceber, é a fonte de tudo, sempre disponível e de onde pode beber a qualquer hora, mesmo num tempo sem horas, que não se mede, que é elástico e ao mesmo tempo escorregadio.

Nos fogos da forja da excalibur da alma, tudo é possível. 
É precisamente esse fogo intenso que nos mantêm na verticalidade, resistindo à gravidade e nos conduz a todo o lado.
Aos lugares mais paradisíacos, novos mundos, novas descobertas, inspiração suprema e à paz da rendição.

A luz interior que se revela ao exterior, que nos conduz pelos trilhos do passado inexoravelmente ao presente e nos guia pelo futuro.
Todos temos episódios no nosso filme, pelos quais gostaríamos de agradecer ao nosso próprio ser do passado, será óptimo poder agir no presente de forma a que o nosso futuro ser, tenha também ele desejo de nos agradecer pelo que fazemos agora, desfrutando das alegrias que bom karma traz juntamente com a paz de espírito e a simples alegria de ser, pois apenas conseguimos conceber nas nossas mentes a existência, o contrário é ainda pois um mistério, porque na verdade existimos sempre.

É bom estar energizado com atitude positiva.
The fire is burning bright... I want to share it with you!



2 comentários:

  1. Acho que vou participar neste filme, seguindo o meu (meu mesmo?!) próprio guião.

    I want to share it with you.

    António

    ResponderEliminar
  2. Caro amigo:

    By all means, make your movie, and share it to the world to see...:)

    ResponderEliminar