11 outubro 2012

Zurrinhos de burro não chegam ao céu


Todos os dias se ouvem os termos crise, austeridade, blá, blá, blá, mercados, confiança, inevitabilidades, balelas imensas e engôdos vários.
Roubam nos insistentemente, criam impostos sobre aspectos que não lembram Maquiavel e aumentam os existentes de meia em meia hora.
Há quem não tenha dinheiro para mandar para comer, emprego para sobreviver ou casa para viver.
Mas segundo Assis, o líder parlamentar do PS, "não se pode deslocar num Clio"...
(só carros alemães, queres ver?).
Ao renovar o contrato de leasing, trocou um BMW série 5 por um Audi...
E ainda tem a ousadia de se justificar no FB, dizendo que: "sem custos não há democracia"
Tudo bem, que benemérito este Zorrinho que não se importa de trocar, desde que seja pópó alemão.
3700 euros/mês, paga o tuga, espremido até ao tutano, pelas sucessivas hordas de ladrões que são essencialmente os mesmos, de há 30 anos a esta parte.
Gente que se arroga de uma importância que não tem, dizendo-se legítimos representantes de um povo que não tem sustento em pleno século XXI.
A tugolãndia, que já encostou os clios há muito, pelos preços proibitivos de combustíveis, portagens, imposto de circulação, scuts, seguros, inspecções, coimas e caças ao transeunte, que tem de fazer as maiores engenharias financeiras, para suas excelências possam exercer esta merda de oposição e que no vosso entender é democracia...!
Pimenta no cu dos outros é refresco!
Talvez por isso, o 5 de Outubro tenha sido à porta fechada, tanta que é a democracia.
Consideram-se alternativa... E que alternativa, senhores!
Cambada de carreiristas (ou carteiristas!?) jota, que desde que vestiram o avental se consideram iluminados e ascendidos, mas que mais não passam de uma cambada de podres...
É demagogia, só pode ser! A demagogia da fome imposta por vós.
O centrão é isto mesmo, O MESMO!
Andem com o carro que quiserem, mas paguem combustível, portagens e pópós do vosso bolso, há quem ganhe bem menos e o faça!
Se não quiserem, andem a pé, de bicicleta ou transportes públicos, para sentirem a pulso o país e perceberem a realidade fora dos muros de Belém e S. Bento.
Se não quiserem, podem dedicar-se à agricultura, que certamente será de maior serviço ao país do que a oposição que fazem de conluio com o governo do coelho e em linha com as austeridades que apregoam.
Fiquem com um tractorzinho para todos ou se quiserem uma Vanette, tanto faz!
Se nenhuma das soluções vos agrada, vão bardamerda!


É mais simples e fica-nos mais barato.

Zurrar no FB



Sem comentários:

Enviar um comentário