22 outubro 2012

As 50 sombras de Farplex

Snack pós coital

Ao que parece, existe um novo género literário de romance erótico para donas de casa.
Eu só posso assumir um género mais badalhoco, que vá além do erótico.
Primeiro, porque já não há donas de casa... Segundo, porque um romance se pressupõe erótico!
Então... É sexo puro e duro!
Depois é como disse Woody Allen, respondendo a uma jornalista que perguntava:
"O sexo é sujo?"...
"Sim, quando é bem feito..."

Rumo à procura de uma dona de casa, vestida de criada francesa, com cinta de ligas, maquilhada e com baton vermelho...
Salto alto, pestanas falsas, unhas de gel enormes e vermelhas que condizem com o baton!

Quis a deusa do amor, que a criatura sentisse ondas de volúpia e desejo entre um esturgido e duas medidas de arroz enquanto se sentia a arder por dentro...
O calor emanado pelo fogão, em nada era comparável ao calor emanado pelo seu próprio "forno".
Sentindo os sucos do "assado" escorrerem de paixão, depressa tentou procurar um utensílio de cozinha que acudisse ao seu suplício, mas a busca fora totalmente em vão...

Mas, mais uma vez, os deuses estavam do seu lado...
Soa de repente a campainha... "Alguém está a tocar à porta", pensa a criatura ardente de desejo.
A sensual french maid abre a porta e depara-se com uma vizinha atrevida de robe cetim preto e decote empertigado, que pergunta se pode entrar, afiançando o bom odor do refogado que emana do forno da criada...
O motivo da visita era simples:

Não tinha água quente em casa...
A criada francesa, prometeu-lhe um banho de espuma bem quente e companhia a gosto.
A vizinha, em sinal de retribuição, ofereceu-se para lhe esfregar as costas e tudo o resto a seu bel prazer...
Era urgente remover todos os vestígios e odores daquele esturgido!
Continua...
Na sua imaginação!



"

Sem comentários:

Enviar um comentário