04 setembro 2012

RTP- Relvas Transporte Pesados


Está visto que Relvas não desagarra do tacho enquanto não garantir emprego para o futuro.
Tal como o Tarzan, usa as lianas para sua mobilidade na selva, assim faz Relvas, que utiliza os tachos para a sua mobilidade social, "Na roça dos tachos" da RTP Africa.

Nada mais natural portanto, que um ministro sem ministério, mande um emissário de um banco internacional igualmente sem ministério anunciar aquilo que o próprio não tem coragem de fazer.

Desta vez o neoliberalismo, nem sequer ousa apelar a jogada de privatização... Mas apenas concessão.
Significa que o público continua a pagar aos privados, mas os lucros e a gestão são do interesse de alguém que em regra geral não coincide com os interesses de quem paga...

Para Relvas tanto faz... Desde que tenha emprego à saída, de uma reforma governamental, já anunciada pela homília semanal do padre Marcelo.

O Borges das privatizações, lá veio defender os interesses da Goldman Sachs, do FMI e arranjar forma de garantir o tão desejado emprego na RTP a Relvas...

Uma das empresas que quer a RTP, é a Newshold, sediada em Angola e cujo proprietário é uma holding no Panamá... Se isto não é coisa de americanos, não sei o que será.

Outro concorrente é a PT, outro monstro... Que tem o condão de implementar a TDT a meias com a ZON, fazendo os portugueses pagarem por 4 canais em sinal aberto e péssima recepção.

Os Espanhóis, também querem a RTP... Através da Cofina.
A Ongoing não precisa da RTP, visto que Relvas vai trabalhar para lá!

Quem está a arder nisto tudo...?

A Sic do Balsemão, que vê aumentada a concorrência e a diminuição do preço da publicidade.
A pluralidade de expressão, coisa que já não existe se pensarmos bem...
Os trabalhadores da RTP, que verão escrutinadas as suas regalias, sobretudo as vedetas que ganham milhares de euros mensais.
E o português comum, que paga taxa audiovisual, para um (mau) serviço público de televisão e rádio... E que passará a dispor de mais um canal de novelas, programas da manhã e tarde para idosos sobre as mais variadas desgraças e pimbalhices.
Não esquecer os telejornais de duas horas ao jantar e as doses massivas de futeboladas.

A verdade é que enquanto os positivistas que acreditam no serviço público, os negativistas que não acreditam e os realistas que vêm um canal igual aos outros pago pelo contribuinte discutem o futuro da RTP...

Vem os oportunistas Relvas, Borges, etc... E bebem o copo da água!

Vamos ver quem prometeu o emprego a Relvas depois da saída do governo...
Eu aposto na Goldman Sachs.
Daí que, RTP- Relvas Transporte (de) Pesados, para o serviço público de televisão.

Será que o Preço certo, possa ser apenas um emprego após queda do governo?

Noto muita sede dos oportunistas em beber este copo de água...


Sem comentários:

Enviar um comentário