22 agosto 2012

Paz, Democracia e Revolução... Farplex


Apesar do ruído mediático e da parafernália de eventos, com que nos presenteiam diariamente...

A vida decorre calma, pacífica e tranquila.
A paz impera em Portugal...
Assim fosse a democracia!

Decisões e decisores escrutinados por cidadãos sem experiência política, sem lobby ou influência, sem loja ou partido.
O rumo de Portugal é estipulado pelos Portugueses e todos aqueles que contribuem para melhorar a vida de todos, sem excepção.

A Revolução é um passo natural... Respeitando os princípios da Paz e Democracia.

As decisões tomadas no quadro europeu e que envolvem Portugal, não nos tem no seu melhor interesse...

As mesmas obrigações europeias, mas e... A igualdade de direitos!?

Se vivemos em Democracia, eu não posso aceitar que Portugal, seja um colonato Alemão...
Que esteja partido entre o Brasil, a China, Moçambique e Angola.
E que tenha uma democracia made in USA...

As manifestações "contra" qualquer coisa, não são do meu agrado...
Por inflamarem a questão com ódio, focando-se no "que não querem"...
Carl Jung dizia: "Aquilo a que resiste, persiste".
Talvez por isso as manifestações "contra tudo", exijam "Democracia Verdadeira já"...
Esta versão da dita... é contra facção!
Democracia inquinada com banca mundial, dá nisto!

É a era do acesso ao crédito infinito...

Que implica que aqueles que não tem esse acesso, paguem o acesso alheio... Com juros!
Subsequentemente, todos querem ser "o alheio", que está na política ou em qualquer cargo inter ou intra governamental, que é parente, amigo, camarada, colega ou irmão e é absorvido para defender o grande irmão.

Isto é fundamentalmente, o sistema actual da decepção televisionada... Sempre com más noticias!
Mas a verdade, é que ao seu redor, a vida flui...
Não existe um único funcionário do governo, que lhe diga como viver...
(A não ser claro... Que seja funcionário público!).

Imagine, que se produzia energia, alimentos e comodidades na sua freguesia ou localidade (gás, electricidade, água, alimentos, bens de consumo...).
Preferia incentivar a comunidade local, com transacções simples em dinheiro ou por troca directa e o simples acesso a redes viáveis e sustentáveis de fornecimento local, de qualidade superior e economizando recursos? Ou alimentar monopólios?

Pois é... A revolução passa por aqui.
A investigação e desenvolvimento, nunca foram feitas com subsídios...
A necessidade aguça o engenho... Assim dizem.
Gasóleo Vs biodiesel e reciclagem de óleos usados...
Quem tem carros a diesel, pode fazer biodiesel em casa enquanto recicla... E emagrece a Galp e não paga ISP + IVA (50% do preço por litro)...

Água potável em casa, por furo, poço, mina ou simples abastecimento local.
Energia fotovoltaica, solar térmica ou eólica, reduzia a factura EDP.
Imagine um motor de indução magnética de movimento livre e perpétuo.
É o adeus à EDP...

A Revolução, em período de ditadura económica é simples de fazer:

Basta bloquear, produtos e marcas de comportamento nocivo, com alternativas viáveis e sustentáveis...
E não há governo que consiga reduzir a criatividade do génio humano.
Claro que haverá sempre quem defenda o actual sistema, com unhas e dentes, afiançando que é impossível mudar o que quer que seja...

Mas apesar de todo o ruído, a vida corre sempre serenamente em paz, mesmo contrariando tudo o que é dito e pago para ser espalhado... Como os aumentos disto e daquilo!
O que me leva a crer que esta revolução Portuguesa é sobretudo intelectual e o governo como não percebe e não descortina a intelectualidade...
Continua a falar para o boneco... Incessantemente!

Vivemos em Paz, mas a Democracia é pouca, a Revolução... Essa, já está a acontecer!

P.S- Quem quiser painéis fotovoltaicos, procure sinalização luminosa em locais isolados, eles andam por aí espalhados e foram pagos com os subsídios europeus que nos cobram agora, chama-se justiça social!

Para saber mais sobre sistemas solares térmicos, fabrico de biodiesel e afins caseiros...Basta passar no youtube.

Agora imagine, que ninguém paga compras no Pingo Doce, abaixo de 20 euros...
(Já que não dá, para usar o cartão...)
Não ia à falência, já foi pago pelos fornecedores esmifrados e pelo 1º de Maio!
Jerónimo Martins, não quer pagar taxas aos bancos, enquanto acumula uma reserva catita de divisas!

Se é para matar a fome... Não é pecado, nem roubo!
É necessidade...
A mesma, que aguça o engenho.


Sem comentários:

Enviar um comentário