01 abril 2012

Troco Ribeiro e Castro pelo pin na lapela


Ribeiro e Castro votou contra a extinção do 1º Dezembro, dia da restauração da independência de Portugal.
Todos os outros, os que vem discursar (em modo contínuo) cá a casa, à hora do jantar, usam pins de Portugal na lapela, numa espécie de patriotismo bacoco e pífio que imagine-se, não se traduz em atitudes patrióticas...
O pin tem o poder de transmorfar (sim...tipo Power Ranger!), um qualquer político de qualquer dimensão ou planeta, num simples português, tentando ao mesmo tempo iludir e aproximar o político das pessoas.

Ribeiro e Castro com o seu chumbo à extinção do 1º Dezembro, (furando a disciplina de voto do CDS...mas já lá vamos!), fez mais por Portugal como país que 10 toneladas de pins ao peito

Quanto ao rombo na disciplina de voto do CDS, mostra claramente o "estado democrático" a que Portugal chegou...
Um deputado eleito pelo povo para seu legítimo representante decide votar contra a abolição do feriado comemorativo da independência do seu próprio País...
Não obstante este deputado ter sido eleito pelo CDS, que como tal deve obedecer ao grande líder...
Excepto se for oposição declarada ao próprio!
Uma voz discordante num partido do governo, é sinal de vitalidade democrática, o CDS só tem a ganhar com este chumbo de Ribeiro e Castro!

Clap, clap, clap... smartmove!

Paulo Portas reúne de emergência para um período de reflexão sobre os conceitos e a importância da "disciplina de voto", "orientação de voto" e liberdade de voto", vai haver chá...
Mas esta batalha Ribeiro e Castro já ganhou, seria idiota de Paulo Portas excluir um deputado que lhe confere aquela costela popularucha com que o CDS tanto gosta de contar...

Ribeiro e Castro, mais patriota do que um pin na lapela...
E os monárquicos todos à espreita!

2 comentários:

  1. Na época da IIGM os franceses que se aliaram aos Alemães também utilizavam bandeirinha da França na lapela! É normal que quem trai a Pátria pretenda fazer passar a imagem de patriota... e nisto os políticos são peritos, fazer passar a imagem daquilo que não são!

    ResponderEliminar
  2. O pin na lapela é de um cinismo intragável... Sobretudo quando se tomam as medidas que este executivo aprova, no sentido de destruir Portugal!

    ResponderEliminar