20 abril 2012

Soluções para reactivar a Es.Col.A da Fontinha


Depois de assistir incrédulo ao desenrolar dos acontecimentos de ontem relativamente ao Espaço Colectivo Auto gestionado da Fontinha, percebo que este projecto é muito mais que toda uma "republica democrática", uma espécie de reedição de David e Golias no panorama político nacional!

O sistema não soluciona, vive para empatar, proibir e restringir... Dá um presunto a quem trouxer um porco (ou dois...)!
Não se compadece com a dignidade dos cidadãos, nem tão pouco o seu bem estar, apenas com o seu próprio ego.

Destruíram o projecto da Es.Col.A, os materiais, as instalações e vedaram o espaço com chapas de ferro...

ÓPTIMO!
Podemos começar por aí, chapas de ferro terão algum valor nos sucateiros da zona, o que servirá para amortecer alguns dos prejuízos causados, não todos, mas alguns...

Pela forma como a Es.Col.A da Fontinha vai sendo seguida por todos a nível nacional ( a onda de solidariedade gerada ontem por todo o País confirma...), mostra que mais pessoas se identificam com o projecto, que se revêm nele e o apoiam.

Não tardará a que projectos similares, surjam por esse país fora, reabilitando as estruturas que o sistema à muito desprezou, deixando apenas ruínas devolutas.
O voluntariado dito "anarca" e "okupa" ajuda as comunidades que o sistema esqueceu ou finge não saber que existem...
Nada melhor para todos aqueles a quem o sistema já subtraiu toda a dignidade!

A solução

Marquem uma festa na Fontinha, tragam todas as pessoas que conseguirem, façam um arraial e festejem o 25 de Abril.
Se existem músicos de intervenção neste país, eles que venham desinteressados dos cachets elevados e toquem suas músicas para as gentes da Fontinha.
Mostrem que há músicos neste país motivados por causas, além do dinheiro, da fama e das aparições em horário nobre ou parcerias com o Continente.
(Afinal de contas, precisamos de Zecas e de Afonsos... )
Juntem-se todos, num convívio que tornará a Fontinha intransitável...
A comunicação social vai querer lá estar!

Quando a festa terminar, reocupa-se a escola, pacificamente (sempre)!
Numa iniciativa considerada de verdadeiro interesse público.

E o projecto Es.Col.A entrará numa nova versão...

Em 2013 há eleições autárquicas e a continuar nesta toada o Rio pode bem secar de vez...
As ideias não se despejam, só os políticos!
Destruir, não é governar...

Sem comentários:

Enviar um comentário