16 abril 2012

Portugal- A fuga das galinhas


Tudo serve para alimentar o pagode mediático...
Continuamos complacentes e piegas, com um governo que há muito extravazou as fronteiras do "ridículo legislativo"!
O Correio da manhã, esse pasquim popularucho, faz uma daquelas sondagens de trazer por casa ao governo...
Resultado:
Todos os ministros com nota negativa, excepto Assunção Cristas... Safa-se com 11 de 0 a 20 valores...
Mas porquê?

Cada vez que larga um Assuncionismo (espécie de paradoxo burocrático institucional inútil), faz notícia de jornal...
A Assunção afinfa os Portugueses com uma nova realidade política exponencializada à trigésima potência, a estupidez política!

Portugal é neste momento exportador de ovos, mas como o alojamento dado aos animais não bate certo com a normativa higieno fascista europeia, temos até Julho para abater 3 milhões de galináceos...
Passaremos a importar ovos, o preço dos mesmos subirá em flecha...

Se isto não é estupidez é o quê?

Só falta mesmo que Passos e Portas sugiram às galinhas que emigrem, pondo ovos noutros mercados, para o circulo da política da estupidez esteja completo!

Haverá a possibilidade de surgir um governo mais descredibilizante ainda...?

Ide, ide ler a notícia de mais um Assuncionismo, na politica de estupidez.

Enquanto isto acontece, existem portugueses a passar fome... Vai bardamerda Assunção!

Adenda:

O director geral da alimentação e veterinária, Nuno Vieira Brito, já veio aos media "desculpar a gaffe" e dizer que pretende "afastar o espectro do abate"... Mas quer cumprir a normativa europeia o mais rápido possível!

Pois, com 75 milhões de euros estimados para adaptar o sector à legislação europeia... Alguém irá certamente lucrar!
São os emprestadores de crédito os mesmos criadores de legislação higieno fascista, que depois nos cobrarão juros e austeridades...
Somente por amizade aos galináceos, que teimamos em não alojar correctamente...
Os galináceos e a restante população portuguesa!
Vai tu também bardamerda mais as desculpas esfarrapadas...

Sem comentários:

Enviar um comentário