05 abril 2012

Legitimidades


Miguel Macedo considera "legitima" a intervenção da polícia no 22 de Março, no sentido de restabelecer a ordem pública... Que a própria polícia perturbou!
Quanto é para sacudir a água do capote, tudo é "legitimo"...

É tão legitimo arrear em transeuntes, (sejam eles fotojornalistas ou não...), como é legitimo, o Mário Soares enviar a multa de circular a 200km/hora na A8, para o estado...

Também é legitimo o Passos impedir as reformas antecipadas a quem pagou uma vida inteira para usufruir do que é, ser um direito seu... Para quê descontar, se não pode usufruir de reforma!?
E é igualmente legitimo apreender os subsídios de férias e Natal (a quem os tinha...), mas há excepções a esta regra! E adivinhe-se... São legitimas!

Concebe-se também a legitimidade das sucessivas mentiras de campanha dos partidos e somos complacentes e piegas com a "legitimidade" do financiamento partidário, das jogadas, dos esquemas, do compadrio e das sociedades...!

As privatizações são "legitimas", o BPN, a TDT, o preço da energia, dos combustíveis, os impostos camuflados e até a parceria EDP/Continente... É tudo legítimo...!

Tudo ungido pelos óleos sagrados da legalidade... E do dinheiro!

A maternidade Alfredo da Costa, fecha pela mão da democracia cristã, os defensores acérrimos dos valores da família, da vida e do raio que os parta, atafulhados de cinismo e demagogia, chegando ao absurdo de legitimar a gravidez como doença...

O Português é que vive na ilegalidade tremenda, de permitir tudo isto...E até quando!?

Somos um país de ilegítimos, governado por legítimos trafulhas, aldrabilhas e outros servos do sistema bancário...

Chegará o dia, em que Fernando Pessoa e Camões deixem de ser legítimos de figurar no Chiado...?

Imaginem quando os portugueses "(i)legítimos" se revestirem de legitimidade, acabando com esta farsa que teima em persistir!
Estamos de conluio com quem? Ou com o quê?
Destruir, não é governar porra...!

Para que precisamos nós de um estado ou governo com esta legitimidade fantocheira, ilegal e corrupta!?

Nota final: O artº 37 da Constituição da República Portuguesa confere toda a legitimidade a este post.

4 comentários:

  1. Parabéns pelo design do blog Tiago. Aprecio.

    A.E

    ResponderEliminar
  2. Obrigado ;)
    Por aqui vive-se em constante revolução :)
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  3. Conheçi este blogue e gosto muito, parabéns !
    Eu não sou de odiar pessoas, mas não suporto este Miguel Macedo, para ele está tudo bem. Calma, o Miguel Relvas também não fica atras ele a dar más notícias com um sorriso, na cara, cínico. Ai este governo!

    ResponderEliminar
  4. Obrigado...;)
    Aqui não odiamos ninguém...
    Pega-se apenas nas "verdades" e nos "vendedores das mesmas" e desconstrói-se o discurso!
    É uma abordagem política simples, que procura descortinar intenções nos protagonistas!
    Confesso-me pouco fã de governos, partidos ou estruturas limitantes do pensamento...
    Sobretudo atendendo ao desvio astronómico que existe entre a política (e respectivos protagonistas) e a sociedade civil, com especial relevância para o nosso querido país... Apesar de por vezes darmos um saltito ou outro internacional! ;)

    Bem haja, boa Páscoa

    ResponderEliminar