23 abril 2012

A justiça precisa tirar a cabeça do cu


É sabido que em Portugal as coisas não andam bem...
Não é a economia em particular, nem o País em geral!
Não é a troika, o infantil Passos, o irritante Relvas, o escorregadio Portas ou o arrastado Gaspar...

É tudo isto e mais algumas coisinhas!
Antes da Justiça ser atacada pela praga Teixeira da Cruz... Já a justiça era pouca, hoje ao ler 3 notícias distintas, confirma-se...
A justiça em Portugal poderá tomar qualquer nome, excepto o de justiça!


A primeira notícia fala do caso Portucale... Da viscosidade pegajosa entre o governo PSD-CDS, o Bes e uns investimentos muito manhosos em Benavente...

Todo o caso tresanda a corrupção política, a enriquecimento ilícito, a esquema, compadrio e os filmes do costume entre políticos no governo, banca e construção.

O acórdão inocentou os 11 arguidos, sem fundamentar legalmente o porquê, remetendo apenas para as definições das acusações.
Os sucessivos depósitos na conta do CDS no Bes perfazendo 1 milhão, as assinaturas a contra relógio antes de cair o governo e os 2600 sobreiros, tudo legítimo...
O PS tem esta carta na manga!

A segunda notícia, fala de um automobilista que matou um peão embriagado...
Um condutor seguia a 70 km/h, numa zona de 50, à sua frente surge um homem embriagado com 3,70 g/litro de álcool no sangue, atravessa a estrada, o condutor atropela-o, o peão alcoolizado morre.
É uma zona "cinzenta" da justiça...
Se é certo que houve uma morte, esta não foi intencional e pode bem resultar da falta de discernimento da vítima, apesar do excesso de velocidade do condutor...
Mas poderia acontecer a qualquer um de nós!
Homicídio por negligência e 2500 euros de multa, o condutor recorreu e foi absolvido...
O acórdão desvaloriza o relatório da GNR e respectivos cálculos para a distância de travagem que determinaram a velocidade do condutor...
O tribunal alega ainda, que os cálculos se baseiam em funções matemáticas e que a "matemática é uma ciência abstracta" (!?). Então o que dizer do direito e da filosofia?


A terceira notícia, de longe a mais grave do ponto de vista judicial e que mostra como existem "perigosos criminosos" à solta por este país...
Um jovem, foi condenado a dois meses de prisão em pena suspensa, substituído por 280 dias de multa, por cometer a gravíssima ofensa de partilhar 3 músicas...

A saber:
Delfins- "Queda de um anjo"
João Pedro Pais- "Não há"
Alanis Morrissete- "Right through you"

Não percebi se a ofensa foi partilhar as músicas ou o gosto musical do réu, sei que a Associação Fonográfica Portuguesa (AFP) detém 95% do mercado discográfico português, que é quem ganha verdadeiramente dinheiro com a música, em detrimento de consumidores e artistas, queixando-se ainda que a demora na justiça em julgar este tipo de casos, torna o combate à "pirataria impossível", quando os verdadeiros piratas parasitas são a própria AFP...

Resumindo:

Se é justiça entre banca e partidos e o "regular funcionamento da democracia mercantil", absolvem-se...
Se é entre cidadãos, absolve-se o que estiver vivo...
Se for entre um cidadão e o sistema mercantil, fode-se o cidadão, porque o sistema mercantil "está em crise"!
Com uma justiça assim, basta ter dinheiro para que ela funcione!
Não tirem a cabeça do cu, que não é preciso...

2 comentários:

  1. Boa pívea que esta merda se está a tornar... mas tens razão RIR È O MELHOR REMÉDIO...

    ResponderEliminar
  2. Rir é SEMPRE o melhor remédio... É a única forma de conseguir relativizar a loucura em que o quotidiano se tornou!

    Bem haja!

    ResponderEliminar