19 abril 2012

Es.Col.A da Fontinha e o Rio que a quer secar






Abandonada durante 5 anos pela autarquia do Porto, a escola da Fontinha era um antro de toxicodependência e narcotráfico...
Os moradores queixavam-se, a miudagem que utilizava o pátio da escola para jogar à bola, partilhava o espaço com as seringas espalhadas por ali.
A polícia, essa não era tida nem achada!

Um dia um grupo de pessoas decide limpar o espaço, renová-lo e envolver a comunidade num projecto de requalificação social, com workshops temáticos vários para todas as faixas etárias!
Imagine-se a ousadia, tudo isto era feito gratuitamente...
Sem ajudas comunitárias, sem associações, fundações, partidocracias ou outras burocracias ditas legítimas para comunicação social ver...

A câmara municipal do Porto decidiu despejar... Despejou!

Ninguém baixou os braços, fizeram-se assembleias populares, fortaleceu-se o espírito comunitário e partiram para a Assembleia municipal...
Chegaram ao ponto de ouvir frases como: "Já viram o que seria se de repente fossemos todos altruístas?" da boca de um dirigente político que se considera um "legítimo representante"...
A câmara quis emparedar o espaço, não fez...

Atribui uma licença provisória e diz que tem que ser seguidos os trâmites legais burocráticos, num projecto que é tudo menos burocrático, apesar de fundado e bem assente na legalidade de princípios basilares da sociedade democrática como o direito à educação, a ensinar, a preservar a propriedade pública, a soberania popular e o apoio às iniciativas de autogestão sustentáveis, como este projecto já o mostrou ser!

Mas este mês o famoso grupo Anonymous fez uma ameaça directa a Rui Rio, caso despejasse o projecto Es.Col.A das instalações na Fontinha.
Rui Rio, cujo ego ultrapassa em muito a inteligência, despejou hoje os mentores deste projecto solidário.

Recorreu a bombeiros à paisana, polícia de intervenção e PSP. Assim utilizando a força pretende desmoralizar, descredibilizar e destruir um projecto, que em muito ultrapassa a capacidade e inteligência de qualquer político neste país (talvez seja precisamente esse o motivo deste despejo... Se formos todos altruístas e autogestionados, para que precisaremos nós de um governo?)!

O protesto dirigiu-se à câmara do Porto, um homem cujos dois filhos frequentavam a escola da Fontinha para ocupação dos tempos livres (serviço que nem o estado, nem a câmara do Porto assegura com idênticas condições gratuitamente...), regou-se com gasolina e foi imediatamente detido... Ainda se tentou imolar, mas é crime gastar gasolina para se imolar ao preço que a dita está!

Num país onde as decisões da "política legítima" e "democrática" passam pelo roubo contínuo dos cidadãos, fecho de escolas, hospitais, maternidades, serviços sociais e o sistemático abuso de poder nas inconstitucionalidades legislativas, a escola da Fontinha é uma lufada de ar fresco!

Mas as lufadas de ar fresco, não dão lucro, não trazem votos e não ganham eleições!

São apenas o reflexo de uma sociedade que se assume como livre, dentro da ditadura dos mercados...

O Farplex apoia e aplaude a iniciativa da Es.Col.A da Fontinha, ao povo o que é do povo!






Sem comentários:

Enviar um comentário