22 março 2012

Toulouse- A manobra pré-eleitoral


Uma autêntica salganhada... O episódio Francês de Toulouse, pode ser facilmente comparado ao episódio da captura de Bin Laden!

Um presumível suspeito de matar crianças judaicas (vou repetir: Um presumível suspeito de matar crianças judaicas), teve o azar de ser muçulmano...

Assim juntando uma série de ódios, medos e xenofobias, a guerra ao terrorismo volta à Europa!

Imagine o leitor, que tem uma scooter preta, é muçulmano e vê a sua casa cercada de forças especiais...
Eis senão que, vê na televisão, ser o "presumível suspeito" de um homicídio múltiplo...
Sai à rua para cumprimentar as forças de intervenção? Não me parece...

Saiu ao fim de 32 horas... Uns dizem que se suicidou, outros, dizem que Merah levava o respectivo balázio na cabeça...
Claro que a polícia encontrou provas incriminadoras... Merah estava ligado à temível e infâme Al Qaeda!

Mas ninguém deteve ou interrogou Merah!

Chuck Narkozy deslocou-se ao local, a situação resolveu-se num autêntico faroeste francês de tiros e explosões...
O principal suspeito morto...
Chuck Narkozy promete combater o terrorismo, quando já tinha defendido a redução de emigrantes em França... Num país pejado de muçulmanos!
Se não é xenofobia, racismo e instigar ao ódio, é o quê?
Lamento, pelas vítimas e familiares, apanhadas pelos jogos de poder de quem não respeita a vida humana...

As sondagens de Chuck Narkozy subiram... 

Nada como um thriller psicológico para garantir resultados!


21 comentários:

  1. Ele não teve o azar de ser muçulmano, ele matou porque era islamita radical. Nenhum muçulmano de boa fé leva a cabo este tipo de atentados, quem o faz são os radicais islamitas. São dois conceitos totalmente diferentes, que qualquer alma de esquerda ou direita intlectualmente honesta, facilmente reconheçe.

    Merah era de facto uma dessas mentes alteradas pelo radicalismo. Enquanto barricado telefonou para a France24 de modo a glorificar os seus actos.
    O terrorismo não tem desculpa, simplesmente não tem.

    ResponderEliminar
  2. Ele matou?
    Não foi detido, interrogado, julgado... Foi apenas morto, nenhum cristão de boa fé leva a cabo este tipo de sentença...
    O radicalismo islâmico pode até existir, mas os únicos fanáticos que vejo, são os da guerra ao terrorismo!

    O facto de haver eleições em França e a campanha ter sido suspensa, apesar do presidente usar e abusar do tempo de antena no episódio Toulouse...

    As sondagens subiram para o Lord Farquad Francês!
    Concordo consigo...
    O terrorismo não tem mesmo desculpa, mesmo quando no formato eleitoralista...

    Quanto a evidências e provas de culpabilidade...ZERO! Era apenas muçulmano...

    Mas veja aqui... http://sicnoticias.sapo.pt/mundo/article1430408.ece

    Bem haja!

    ResponderEliminar
  3. Os únicos fanáticos que vê são os da guerra ao terrorismo? Diga isso às famílias dos milhares de vitimas de todo o tipo de terrorismo.

    Caso não saiba, o senhor em causa já seria seguido há anos por ligações a células terroristas, tinha sido referenciado por ter ligações à rede de Bin Laden. Já havia sido preso pelos E.U.A. e entretanto libertado pela frança.
    Erro da França, pois lugar de quem não tem respeito pela vida alheia é na cadeia. Caso queiram partir como mártires, seja feita a sua vontade.

    Entretanto o irmão foi detido na posse de explosivos também existem testemunhas oculares dos atentados, durante as negociações nunca negou a autoria e no contacto com a France24 glorificou o acto. Dar um tiro na cabeça de uma criança é acto de gente que merece respeito.


    Transformar uma questão de terrorismo numa questão eleitoral é no minimo triste, tanto para a direita como para a esquerda.

    ResponderEliminar
  4. Vamos cá ver se nos entendemos...
    Sou contra qualquer forma de violência, Merah passou de "presumível suspeito" a simplesmente executado...
    Quem beneficiou com este episódio de Toulouse?
    Os discursos do presidente são instigações de ódio e xenofobia...
    Lamento por todas as vítimas, nenhuma forma de violência é justificativa do que quer que seja!
    Um bom exemplo, da sorte ou azar de se ser muçulmano...
    Breivik foi apenas detido!

    ResponderEliminar
  5. São dois casos totalmente diferentes. Desde logo ao nível dos objectivos finais até à mentalidade associada a ambos:

    Breivik: classe média-alta, maçon, educação superior, escreveu um manifesto antes do atentado. Quer fazer campanha no tribunal. Quer tornar o seu caso num caso político. Quer transformar o seu julgamento num púlpito para expor a sua mensagem. Quer arregimentar seguidores para sua causa. Se bem se lembra, chegou a distribuir textos e um manifesto com a sua visão do mundo. Breivik quer ser ideólogo de um ultra-fascismo. O tribunal entendeu isto e muito bem decidiu proibir a captação das declarações deste senhor. Imagine o que seria, para uma mente totalitária e racista, encontrar os textos e declarações deste ideólogo que defendia a cristianização da europa contra os islamitas.
    Breivik entregou-se de mãos no ar e desarmado, para evangelizar apartir do tribunal e na prisão escrever umas memórias.

    Merah: Classe baixa, delinquente juvenil, diversas vezes preso (2005, 2006, 2009) por criminalidade menor. Merah não tem ideologia própria é seguidor. Merah é "soldado", não ideólogo. Para Merah apodrecer na cadeia não acarreta glória ou fama. Para Merah ser mártir, e morrer de arma na mão projecta-o para a glória que a sua vida de subúrbio nunca teria. O caso Merah é bastante mais simples a sua luta é pela imposição do veú islâmico em frança, contra a presença de soldados franceses no terreno árabe.
    Merah barricou-se armado, não se entregou preferiu ser um mártir.

    Existe uma grande diferença na entrega, na mentalidade, mas não no fascismo do acto. Apenas se cruzam no seu totalitarismo fascista. Pensamento fascista é sempre fascista, seja ele islâmico, Cristão ou de outro tipo.

    Merah podia ser muçulmano mas era um fascista. Não morreu por ser muçulmano, morreu por ser um islamita-totalitário que procurava a glorificação dos mártires.

    Breivik sobreviveu não por ser cristão, mas porque quer doutrinar.

    Não foi sorte, azar, ou vontade policial, foi consequência de actos próprios. Tudo planeado pelos terroristas.

    ResponderEliminar
  6. Lamento, mas continuo com as minhas dúvidas...
    O soldado norte americano que matou no Afeganistão, dir-me à que se trata de um cenário de guerra, ou que estava sob pressão psicológica...
    Não se justifica o uso da violência e muito menos a sua aplicação com dois pesos e duas medidas... Com a finalidade de tirar dividendos eleitorais!
    Fica a crítica, porque terroristas os há de toda a espécie, raça, credo e confissão...!

    ResponderEliminar
  7. Não percebeu a diferença entre Breivik e Merah? Expliquei mal, foi isso?

    O soldado Americano ao matar cometeu um crime tem de ser julgado por isso. Dadas as circunstâncias será julgado como criminoso de guerra. Afinal de contas bem ou mal o país dele é uma democracia ao contrário da Afeganistão talibã.

    Merah planeou o crime em vésperas de eleições para beneficiar um político? Não me parece que tenha sido o caso. A polícia disparou a pensar nas eleições? Não me parece o caso, apesar de não conhecer quem deu a ordem para a intervenção. Podemos ser de esquerda ou de direita, mas não damos um tiro a pensar nisso.

    Se os políticos se aproveitam da situação tenho pena deles e de quem vota neles. Isto vale para Sarkozy e para Hollande, ambos tentam tirar partido da situação. O que é triste.

    Como não podemos ficar reféns de extremistas, o fim dos terroristas só pode ser ou na cadeia ou na morgue, a escolha é deles.

    ResponderEliminar
  8. Percebo perfeitamente o seu ponto de vista e distinção entre Breivik e Merah...
    Tomando o xadrez por exemplo, Breivik seria um bispo e Merah um simples peão!
    Nada se sabe acerca de Merah, era suspeito e depois de morto passou a pertencer à Al Qaeda...
    A polícia disparou a mando de alguém que considera que uma postura de força perante a ameaça eterna e invisível do terrorismo ganha votos... Serve!?
    Isto nada tem a ver com o (inexistente) binómio esquerda/direita...

    Quem lucrou foi Sarkozy, a campanha eleitoral foi suspensa, apenas o presidente teve direito a tempo de antena. E sim... Tirou partido, as sondagens assim o demonstram!
    É bem verdade que não podemos ficar reféns de terroristas... Mas atente-se à definição de "terrorista", porque o que não falta são lobos em peles de cordeiro... De gravata e tudo!

    Bem haja

    ResponderEliminar
  9. Não é certo que Merah pertença a Al Qaeda directamente, mas que tinha ligação a células terroristas é certo. E como sabe entre Paquistão e Afeganistão redes terroristas são coisas que não faltam.
    Não serve, a polícia disparou perante um terrorista de arma em punho. Terrorista que já tinha feito diversas vitimas entre elas crianças.
    Não tem a ver com ser de esquerda ou direita, tem a ver com aceitar ou não ser refém do terror. Como no meu caso recuso ser dominado ou amedrontado por fanáticos a reação da polícia está justificada. Se Merah morreu foi porque assim escolheu.

    Sim, Sarkozy aproveitou melhor a situação, porque a problemática terrorista faz parte do discurso dele (mas não é tema de agora, basta ver discursos de 2007). Holande também falou e não foi pouco, mas devido ao tipo de politica que apoia acabou enredado em contradições. Continuo a contar com a vitória de Holland porque isto não foi um 11 de Setembro. Mas se Sarkozy é recompensado é porque os eleitores se identificam com o discurso dele.

    Um sujeito que abate a sangue frio crianças, por uma causa religiosa-política será sempre um terrorista. Não perco 2 segundos do meu sono com pena do sujeito. Se os há que usam fato, também não tenho pena e para eles tenho a mesma resposta. Ou bala ou cadeia (em regime de isolamento) eles que decidam.

    Obrigado eu, por manter o debate vivo.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  10. http://www.sott.net/articles/show/243352-Toulouse-Attacks-The-Official-Story-of-the-Death-of-Mohamed-Merah-is-a-Lie Dar uma olhadela aqui ;)

    ResponderEliminar
  11. O ultimo link postado, encerra a questão...
    I rest my case!

    Obrigado pela participação ;)

    ResponderEliminar
  12. Ao dar uma vista de olhos no texto é fácil encontrar uma série de falhas básicas até. Desde logo porque diabos os serviços secretos necessitariam de um criminoso de delito comum, quando têm acesso a terroristas bem instalados dentro das redes?
    Cada acredita no que quer, mas acreditar numa informação vinda de fonte sem credibilidade no minimo é desonestidade intlectual.

    ResponderEliminar
  13. Quem é a entidade que confere legitimidade ao que se escreve? No 1984 de George Orwell, era o ministério da verdade... E agora? Quem é...
    Na política, tal como no xadrez, sacrifica-se muitas vezes um peão para poder fazer xeque mate...;)
    Foi o anónimo que afirmou que Merah era um peão...

    ResponderEliminar
  14. O Chuck Narkozy, prepara-se para um xeque mate...;)

    ResponderEliminar
  15. Se leu o Big Brother e o 1984 percebeu que muito do que lá está escrito acaba por ser reproduzido em ditaduras por coincidência numa ditadura que começa em 1948. O livro era para se chamar 1948, imagine!
    Como deve saber existe muito jornalismo livre e intelectualmente honesto e não é difícil de o encontrar. Está na net, está nas bancas etc.
    Mas também basta dar uma vista de olhos geral pelos temas debatidos que site que indica para ver que senso comum por ali não abunda. E é essa falta de senso comum que lhes tira a legitimidade.

    De Merah disse que era criminoso comum e não um ideólogo. Executava não criava. O facto de ele ter sido recusado na legião estrangeira, não significa que ele não fosse extremista. Antes pelo contrário imensos neo-nazis passam por campos militares. Além de que o artigo passa ao lado de imensos factos.

    Pode ter uma opinião favorável a Merah, ou pensar que tudo não passa de propaganda paga por Sarkozy etc... é o seu direito. Mas se o vem afirmar apresente provas intlectualmente honestas.

    ResponderEliminar
  16. Se ler a coluna da direita, verá que o blog é inteiramente reflexo daquilo que o mundo me parece... Sou portanto honesto comigo, porque não sou vendedor de verdades, esta é apenas a minha verdade... Pelo que para mim será sempre sincera!
    Os bonecos dão apenas colorido ao pensamento...
    O Chuck Narkozy é uma caricatura de um presidente que tira dividendos eleitoralistas através de um discurso xenófobo que incita à violência, contra a estafada "guerra ao terror"... Numa clara alusão ao action hero, Chuck Norris!
    Quanto a Merah, continuo a achar que a sua maior ofensa foi ser muçulmano... Na entrevista da Sic noticias ao ex chefe dos serviços secretos, o próprio diz que Merah era suspeito sob vigilância, mas que não havia provas suficientes de actividade terrorista...
    Parece-me intelectualmente honesto o suficiente!
    Não defendo a violência, seja porque motivo for... Quem recorre a ela como única solução viável e inevitável é que necessita de apresentar provas intelectualmente honestas...
    Eu na qualidade de cidadão a quem as "verdades" são vendidas fico apenas no que me parece...!
    E a mim parece-me que só o Chuck Narkozy facturou à conta deste faroeste...;)

    ResponderEliminar
  17. Tem toda a razão e deve sempre pensar por si próprio. E também tem razão quando diz que Sarkozy age mal e Hollande repete o erro e piora ao deitar mais lenha para a fogueira ao tentar instrumentalizar a situação. Tudo certo. Agora Merah não era um mero muçulmano. Provavelmente, tal como eu, conhece 4 ou 5 muçulmanos e saberá a diferença entre um muçulmano democrata e um muçulmano radical. E Merah era um muçulmano radical. Não sei viu um documentário da sic noticias (faz uns 3 meses que passou, que acompanhou um grupo de muçulmanos radicais em Inglaterra. E eles simplesmente não tinham qualquer respeito por outro tipo de pessoa que não seja radical. Para eles qualquer morte é justificada em nome de deus (d pequeno, porque sou ateu)ate a de um muçulmano não radical. Merah teve um problema, que ele criou para ele próprio, era radical. A sua maior ofensa era não respeitar os direitos dos outros. Se foi só Sarkozy que lucrou isso? Infelizmente duvido.
    Quem perde com isso é a democracia e o bom senso.

    ResponderEliminar
  18. Acabamos por concordar em tudo, excepto no facto de considerar Merah um radical islâmico...E se efectivamente é radical, significa que é culpado!
    Não! Então terá que se apurar a verdade material...
    Mas se o principal suspeito está morto, a verdade também estará...
    As provas são reais ou apenas contra informação conveniente ao mundo ocidental?
    Aqui reside a minha principal dúvida.
    Muito à semelhança do que aconteceu com Bin Laden, ou o famigerado 11 de Setembro, cujos desfechos, são ilustrativos de quem lucra com este tipo de eventos!
    Já para não falar na legislação perversamente diabólica e castradora da liberdade em nome da pseudo segurança!
    Onde por qualquer motivo, como exprimir uma opinião pode desencadear um processo de culpabilidade terrorista e subsequente morte...
    Sem que nada ou ninguém o possa impedir!
    Mas tem toda a razão, quando diz que, quem perde sempre é a democracia e o bom senso!

    ResponderEliminar
  19. E olhe como estou de boa fé aqui encontra um artigo que afirma que Merah não era um terrorista politico, não era terrorista islâmico. Simplesmente terrorista sem causa:
    http://www.tariqramadan.com/Behind-the-Toulouse-Shootings,11913.html?lang=fr

    Nesse texto não é apontada a sua ou a minha opinião é uma terceira opinião.

    Leia que vale a pena, apesar de eu n concordar com maior parte do que é afirmado.

    Nisto dos debates uma terceira opinião vale a pena

    ResponderEliminar
  20. É o enquadramento social expectável num blog chamado "tariqramadan"...
    Não discordo profundamente, aceito a versão social de que existem cidadãos de segunda... Cujos direitos são suprimidos sucessivamente, levando a uma perda de identidade e consequente desespero...É uma teoria!
    Muito embora ache que o artigo do tariq, está demasiado focado na questão religiosa e possa tender para instigar ódios e xenofobias.
    A questão presidencial é óbvia, a campanha sai beneficiada e a França curva um pouco mais (ainda) à direita.
    Tariq está mais perto da extrema esquerda...O 8 e o 80!
    É mais fácil montar o boneco do Chuck Narkozy... E a malta ainda se ri...! Sem extremismos, fanatismos ou outros radicais livres...

    ResponderEliminar