17 janeiro 2012

Emprego Vs Trabalho


Um belo dia de sol, um amigo pergunta-me: " O que é que vais fazer se ficares desempregado?"...

Como sabia de antemão que esse dia iria chegar, por acumulação de corte de salário, não pagamento de horas extraordinárias feitas às centenas, enormes gastos pessoais para ir trabalhar, ZERO tempo disponível para família e amigos e a saúde em alerta vermelho...
Respondi- " Se ficar desempregado... Vou fazer a Revolução!"

Mas não a "revolução laboral" anunciada pela SIC, escrava de Bilderbeg...

Mas a minha própria revolução na casa Farplex...
Fazer o que gosto, sem restrições, ler, escrever, pintar, desenhar, cultivar e conviver!

Sou licenciado em Engenharia do Ambiente, Técnico Superior de Higiene e Segurança no Trabalho, Pós Graduado em Sistemas integrados de Qualidade, Ambiente e Segurança, Formador, falo e escrevo em 3 línguas, sei desenhar, tenho espírito crítico e analítico, sou uma pessoa orientada para soluções, dinâmica e que se desenrasca muito bem no domínio da informática, das tecnologias de informação e multimédia.
Sou blogger neste espaço há 5 anos, pintor de acrílicos em tela há outros tantos...
Isto é mais currículo do que muitos governantes da nossa praça, que se auto intitulam de especialistas... De coisa nenhuma, a não ser escola partidária!

Tenho sinceramente mais do que fazer, que procurar emprego mal pago, precário, à minha custa (e dos meus bens) para engordar o estado e patronato, enquanto aturo a pressão constante de um qualquer capataz que me diz " Que tenho sorte em ter emprego, nestas condições..."!

Ora, não sendo eu filho de alguém de relevância na sociedade, não militando em partidos ou sociedades secretas, não ofereço servícias sexuais a gente importante e bem relacionada e não tendo apadrinhamentos, cunhas, ou outro tipo de "cláusulas benévolas" pendentes sobre a minha pessoa, serei obrigado a emigrar...?







Não só, não sou obrigado a emigrar... Como não pretendo fazê-lo por imposição de "iluminados" de avental ou cruz ao peito!
Porque se o sistema que me formou, não reconhece o meu valor e as minhas competências... As mesmas serão usadas para derrubar o mesmo sistema, denunciar a podridão, inventando cantigas de escárnio e maldizer... "Ridendo castigat mores..." Nas palavras do grandioso Gil Vicente!

Voltaremos a falar de trabalho, quando o meu salário mínimo for 10% daquilo que recebe o pintelho da EDP, quando as despesas de representação forem pagas, as horas extra também, quando a cobertura na saúde e a protecção social forem plenas e se precisar de me deslocar, um carro de serviço também vinha a calhar, não preciso de chauffeur, nem de carros alemães topo de gama!
Que o patronato me ceda todo o material necessário à execução das minhas funções e que se mentalize que tem a sorte de ter o meu tempo (e cérebro!) disponível para a sua empresa, pelo que não será boa ideia foder-me a cabeça com questões menores...

Entretanto, o meu trabalho está aqui... Bem à vista de todos!


Sem comentários:

Enviar um comentário