10 outubro 2011

Madeira 2011- O triunfo do sistema sobre o sistema


Finalmente acabou a novela Madeirense... Algo que me causava nauseas, quer pela prestação dos fracos artistas, quer por já saber como acabava a história... Mais uma maioria (absoluta) de Alberto João Jardim!
Resumindo a história:

Um dia a Troika "lança a ideia" que havia marosca nas contas da Madeira... E mete o INE, o Banco de Portugal e o Tribunal de contas ao barulho!

O PSD comprometido fala numa auditoria cujos os resultados saem convenientemente depois das eleições consumadas (Nada de excluir um candidato em investigação séria... Porque se a investigação não é séria, é escusado eliminar o candidato, certo?!), o presidente foge para os Açores e fala em "sorrisos de vacas em prados verdes", talvez uma espécie de código para "estamos fodidos"... Ou então apenas e só um velho caquético a ruminar palavras...!
Miguel Relvas conduz toda a sua energia para manobras de despistagem, fugindo à "Madeira tabu"...
Sem sucesso, desfaz-se em entrevistas de hora, para si e Passos, desmultiplica os ministros em eventos, mas o tempo de antena é do bicho da Madeira, que abre todos os noticiários e profere as alarvidades que lhe convém... Subliminando o poder central.

A divida da Madeira quadriplica em 15 dias, ficando muito aquém do que se deve no resto de Portugal... Demonstrando que o povo teve sempre razão quando dizia que nós pagamos a Madeira, sucessivos governos alimentaram a Madeira sem perguntas, nem controlo, Alberto João é um mix de 1º ministro déspota com autarca do interior!
Negociando com diversos executivos ao longo dos anos...
Um fanfarrão político que sabe demais sobre todo o sistema, como se move, quais as jogadas e os timings certos!
O seu jeito popular e insular elimina qualquer hipótese de outro partido às eleições Madeirenses... Excepto o CDS que subiu e ganhou espaço a Jardim.

No CDS, Portas, sempre ultra partidário, abutrizou a história do buraco financeiro da Madeira, descolou-se mais um pouco do PSD (antecipando a queda, talvez!) e passou a 2ª força política, sem peso para forçar nada... Só pressionar insistentemente Alberto João com 9 deputados!

No PS foi o descalabro, e nota-se o fantasma de Sócrates ainda demasiado presente...
António José Seguro (Mas pouco...), vê-se ensombrado pelo fantasma de um líder que conseguiu dizer a verdade e afirmar o contrário, negando ainda espaço de argumentação no campo da inverdade...
Um verdadeiro filósofo, que torna difícil a vida a Seguro, que não consegue dizer nada que não soe a perfeito disparate e idiotice...
As eleições na Madeira e a queda do PS face a 2007 mostram bem isso, com apenas 6 deputados!

O Coelho da Madeira provou que o regionalismo insular está vivo e a população quer proximidade dos seus líderes, com 3 deputados...

A CDU, PND, PAN, MPT- 1 deputado, encostando os comunistas aos pequenos partidos que merecem mais representatividade...

O Bloco de Esquerda, com 0 deputados, mostra bem que Louçã deve sair!
 Talvez ainda esteja ensombrado com o fantasma de Sócrates... Como António José Seguro está e estará!

Durante as eleições, a Comissão Nacional de Eleições recebeu 30 queixas de irregularidades, uma das quais, em que as carrinhas da empresa dos "buracos" financeiros, andavam a acartar eleitores para votarem (PSD, claro!).
Resultado:
Demissão do delegado da CNE Madeira... Que entretanto foi expedido num voo para Lisboa, rumo ao Júlio de Matos!

Resumindo:
Alberto João Jardim assegura aos Portugueses a última réstia de soberania nacional, a combater o sistema com o próprio sistema, marimbando-se para a Troika e fintando hordas de políticos e partidos sedentos, tornando reféns as figuras de proa do nosso governo!
Diabólico e brilhante...
E não adianta dizer que esta maioria absoluta foi a menor de sempre, porque não deixa de ser uma MAIORIA ABSOLUTA! E que durante os próximos 4 anos Jardim fará o que quiser...

Mostrando a todos que em Democracia não é suposto saber o vencedor (absoluto) de umas eleições antes delas acontecerem...
A lei eleitoral é uma fraude, a justiça idem, o sistema ibidem...

PSD justifica o silêncio refém, com um spin maravilhoso,  que presumo ser da autoria de Miguel Relvas...
A vitória é boa, mas o PSD privilegiou os interesses do estado, sobre os interesses do partido...

E tudo está bem quando acaba bem, de preferência, com finais previsíveis...

THE END

Sem comentários:

Enviar um comentário