31 agosto 2011

Revolução Portuguesa- RP XXI


Bom, a Revolução Portuguesa está iminente, os Portugueses estão fartos de impostos, fartos de partidocracia, da esquerda e da direita, de pseudo líderes cartucheiros do óbvio e vulgares aldrabões...
Face ao agravamento da situação, o risco de perda total de soberania, a recessão económica, o retrocesso civilizacional e a observável falta de soluções por parte da classe dirigente, que apenas preenche cargos e cria impostos... Portugal deve impor uma revolução.

Um bom ponto de partida será o cumprimento da Constituição, documento ultra violado e alvo do poder económico no sentido de granjear a pseudo legitimidade das malfeitorias comuns!

Como individuo pacífico que sou, não incito à violência, nem tão pouco à destruição da propriedade privada, sabendo de antemão que os lesados destes eventos estão muito longe de serem os responsáveis e como tal serão vítimas de um sistema falido e corrupto, como eu e tu!

Ora nada invalida, que se façam umas partidinhas aqui e ali, no sentido de sabotar quem nos sabota diariamente...
Levante o seu dinheiro da sua conta à ordem, ele não rende juros, mas alguém especula ferozmente com ele...
É a história da vaca dividida em dois, um fica com a frente e alimenta a vaca, o outro com a parte traseira e recolhe o leite... Demasiado injusto!
Evite pagamentos com cartões, além de rastreáveis, a utilização destes quadradinhos de plástico tiram-lhe a noção de dinheiro, noção que perdemos por deixar o dinheiro ao cuidado dos bancos...


Se está a falsos recibos verdes deixe de pagar à segurança social, os seus benefícios são nulos e você já é explorado que chegue...
Faça transacções em dinheiro, não são detectáveis e sem factura são livres de imposto.
Crie a sua empresa e venda o seu produto, se possível longe dos mecanismos de "ajuda" e "controlo" do sistema...
Cultive Cannabis... É ilegal cultivar uma planta? Porquê? É uma planta... Ou preferem que cultive ogivas nucleares?
Abstenha-se de pagar multas de trânsito, portagens, e ocasionais abastecimentos de combustível...
Peça ao seu patrão para lhe dar o seu subsídio de natal em dinheiro, como prémio de produtividade, ou fora de impostos...
Abstenha-se da declarações de IRS, IRC... Aquilo que era um suposto beneficio no passado, neste momento é apenas penalização sobre o seu trabalho!

Defenda o que é seu com unhas e dentes, reclame por escrito sempre que se sentir injustiçado nos seus direitos!

Se por acaso está desempregado, arranje uma ocupação "ao negro" por perto, ajudando alguém, poupa nos transportes e/ou combustível e não se preocupe com a reforma, quando chegar a essa idade já não haverá para si... Portanto, para quê descontar!?

Cultive a sua horta e se possível venda o excedente de produtos a vizinhos e amigos.

Crie sistemas de abastecimento independentes de água e energia nas suas casas, solar térmico, fotovoltaico, eólico, biomassa, geotermia...
Tenha também um abastecimento de água, um poço, furo ou aproveitamento de água pluvial.

Quanto maior a independência nestes domínios da população, mais difícil será de impor um controlo económico sobre factores chave de sobrevivência, como a água ou a energia!

Grafite a sua indignação num edifício público, numa câmara Municipal ou mesmo no Palácio de S.Bento, a sua mensagem passará aos restantes!

Abstenha-se de partidos e respectivos militantes, graças a eles chegámos onde estamos... Queremos pessoas no centro das decisões, queremos maiorias de Portugueses e não minorias partidárias que se auto revestem de suposta legitimidade... Para anunciar o prenúncio da desgraça!

Queremos a verdade material e não a verdade económica, dessa já estamos cheios...

Precisamos de todos, incluindo as forças de segurança e os militares, muitos tão oprimidos como o comum dos cidadãos!
Não nos podem exigir nada, se apenas nos roubam, se o suor do trabalho não é suficiente para sobreviver condignamente!
Revoltar-se é apenas sinónimo de patriotismo, de fazer o que está certo para todos, exigir a soberania e independência de um País com 900 anos que se extingue a cada dia que passa!

As leis são apenas coisas insignificantes criadas por simples mortais, que desconhecem por completo o universo...



2 comentários:

  1. Acho que vou começar pela horta e pelo furo. E Tento explicar a coisa em termos de "voluntariado". (depois trocamos blogueiriçes dos respectivos estabelecimentos prisionais).

    ResponderEliminar
  2. Preso, porquê? Por incentivar à independência económica?
    Serviço público...;) Gratuito!

    ResponderEliminar