27 julho 2011

Tópicos para a Revolução Portuguesa


Bastaram 2 meses, para perceber que este novo governo faltou à grande parte dos compromissos assumidos em campanha.
O garrote apertou muito sobre os do costume, enquanto os amigos e as clientelas são insistentemente beneficiadas...
Vitor Gaspar em 3 dias recuou face aos bancos, à função pública no infâme imposto natalício e agora culpa o PS por ter orçamentado a defesa e administração interna abaixo do necessário...
O Gasparzinho sabe bem que irá precisar da polícia e dos militares do seu lado se não quiser uma revolta em Portugal num futuro próximo.
Da mesma forma que precisará das influências movidas no sector público pelas administrações.
De igual modo precisa do apoio da banca, para se financiar ad eternum...

Então "amigos" do governo, as férias dos deputados e ministros não iam ser cortadas? Há tanto para fazer...

Os sacrifícios não iam ser distribuídos com igualdade e sensibilidade social?

Ora vejamos O subsidio natalício, o corte das comparticipações nos medicamentos, o aumento colossal do preço dos transportes públicos, o fim das golden shares e preparam-se para aumentar o IVA... Só engorda do estado à nossa conta, de quem trabalha para legitimar esta democracia fantoche de cartão...

O estado tornou-se insustentável, demasiado gordo para poder fazer o que quer que seja...
A revolução pode ser feita sem recorrer a qualquer tipo de arma, ou a qualquer tipo de violência... Basta para isso que a base do sistema deixe de contribuir!

Nós cidadãos contribuintes, não pagaremos o imposto natalício, não apresentamos IRS (já que a redução massiva das deduções nos fazem todos pagar no final do ano!), os trabalhadores a recibo verde deixarão de pagar à segurança social, transaccionamos serviços e bens sem factura evitando o IVA, retirar o nosso dinheiro dos bancos (onde a sua rentabilidade é mínima...apesar do banco ganhar muito com os nossos depósitos, investindo à tripa forra!), cada vez que nos apresentarem uma coima, apresentaremos recurso por escrito, entupir as secretarias com reclamações nos serviços, entupir os sites oficiais do governo, reclamar por escrito massivamente os maus serviços da EDP, PT, TAP e outras empresas públicas, denunciar todos os casos de corrupção que conhecermos na nossa comunidade através da vida pública, nem que seja anonimamente através da internet...

O governo não pode prender todo um Portugal por não querer financiar e legitimar um regime podre que nos quer extorquir a capacidade de sobrevivência!
Sem financiamento do Zé povinho, nenhum governo se aguenta nestas condições... e assim sim poderemos avançar para uma democracia real livre de lobbies!

Sem comentários:

Enviar um comentário