17 junho 2011

Privatização Vs Nacionalização


Não sou adepto nem de privatizações, nem nacionalizações, acho que algures no meio desses dois conceitos existe a iniciativa privada de fornecer determinado bem ou serviço e o poder do estado para o regular (de forma eficaz!!!). Mas não é isso que acontece...

Antes de mais, quero frisar que deveriam existir as duas vertentes em simultâneo para todos os serviços em condições de igualdade, ou seja, os privados e o estado oferecerem bens e serviços de qualidade ao consumidor, mas assistimos apenas a cartelização dos serviços por grupos económicos, políticos!

Estes serviços reféns, oferecem ao consumidor final, uma solução voltada para o lucro máximo e onde o interesse do consumidor vem no fundo da lista de objectivos.
Como todos os sistemas existentes são na sua génese baseados em pessoas e na Humanidade, podemos facilmente depreender que o sistema não é sustentável nos moldes em que funciona...

Veja-se o BPN, banco privado que foi nacionalizado para encobrir o desfalque massivo feito pelos seus dirigentes na casinagem dos mercados... Mau negócio para Portugal!

A Galp tem o preço dos combustíveis completamente controlado e cartelizado.

A PT e a EDP têm o monopólio quase absoluto dos segmentos de mercados em que operam, energia e telecomunicações.

A RTP (salvo pequenos programas pontuais), oferece as mesmas soluções generalistas que os canais privados de TV em sinal aberto.

A TAP, Carris, CTT, Metro, CP e empresas de transportes de pessoas e mercadorias dão prejuízo crónico, porquê!?

Com um governo "à(s) direita(s)", vamos contar com mais privatizações, agravado pelo facto troikista, que quer reaver os dinheiros que enterrou em Portugal.

Mas poderosos grupos económicos estrangeiros, terão em conta os melhores interesses para Portugal e Portugueses?

Se privatizarmos a RTP, os conteúdos serão muito iguais aos outros canais privados, se "avessos" ao estado poderemos daqui a uns anos estar a falar no 5º canal de televisão, mais uma vez montado pelo e para o estado para suprir a vaga deixada por uma anterior privatização.

Privatizar empresas de transportes, telecomunicações e energia, quando se tratam de monopólios é "entregar o ouro na mão do bandido"!

Sabendo o quanto os nossos políticos "são bons" no domínio dos negócios externos e como as nossas vistas curtas nos deixam sempre a perder no médio, longo prazo ou sacrificando o interesse geral em prol do pessoal/partidário... Antevejo dias negros para Portugal.

Imagine-se que ao privatizar a Caixa Geral de Depósitos temos como entidade fiscalizadora o Banco de Portugal e um qualquer fantoche do gabarito de Vitor Constâncio...
Acontece à CGD o mesmo que ao BPN... E onde ficam as poupanças de grande parte dos Portugueses?
Pois é... Não ficam!

Energia, média e telecomunicações, são algo fundamental nos dias de hoje e cuja privatização total poderá trazer muitos dissabores, mas como o estado não pode estar em todo o lado... Privatiza- se!


As duas privatizações mais preocupantes num futuro próximo são:

A água

Por se tratar de um recurso natural indispensável à vida, torna- se demasiado perverso conceber a ideia de que um grupo económico explore esse mesmo recurso com fins lucrativos e venda o que quer, como quer a quem quer, pelo preço que lhe apetecer, com um qualquer pretexto pífio.

 O ensino público

Não o ensino em si directamente, mas se considerarmos que as escolas recentemente modernizadas pela Parque escolar, pagarão uma renda a esta última por m2 de remodelação e os orçamentos escolares são parcos e neste momento muito abaixo das despesas correntes das escolas, cujas necessidades energéticas escalaram em flecha devido à suposta modernização de que foram alvo...
Será fácil perceber que em pouquíssimo tempo grande parte do sistema de ensino será refém de um qualquer grupo de interesses.


Em suma:

Numa tentativa desesperada de remediar o que não tem remédio (a dívida soberana!), vamos cometer erros ainda mais graves...
E desengane-se quem pensa que poderemos pagar a dívida alegremente, porque as carinhosas agências de rating já nos colaram à Grécia, significa que o que é, e o que será a Grécia num futuro próximo será medida a aplicar em Portugal também...
Era bom que alguém tivesse coragem política para assumir que não temos condições económicas de entrar nas guerras dos mercados!
Tal como a desactivação do nosso aparelho produtivo (Pela mão do nosso actual presidente que agora se desdiz...) prejudicou o País, também esta política de privatizações a "preço de saldo" nos deixará ainda mais entregues à bicharada!!!

Solução:

Referende-se as privatizações, optaremos por uma Portugalização! Um conceito misto (entre privatizar e nacionalizar) em que os interesses de Portugal e dos Portugueses serão sempre salvaguardados!

Sem comentários:

Enviar um comentário