06 junho 2011

Abstenção, ou movimento civil "A cagar pró sistema"


O sistema odeia, abstencionistas... Porque nunca se sabe quando esta gente decide votar e baralhar as contas das sondagens pré fabricadas pelas máquinas partidárias e comunicação social!

Os escribas do sistema, paineleiros políticos, comentadores e os próprios políticos, são avessos, rudes, mal educados e muitas vezes antidemocráticos ao sugerir que votar "deveria ser obrigatório por lei"...

Mas votar, é um direito e não um dever... Assim como é o direito a Não votar, por não se sentir representado por nenhuma das opções para as quais somos ou não encaminhados...

O PSD ganhou porque o País estava farto de José Sócrates e das suas trapalhadas, não por ter apresentado um belíssimo programa exequível para o País...
Aliás nenhum partido apresentou o que quer que fosse, apenas "atirou pedras" a Sócrates... Dizer que ele é mau, quando todo o eleitorado já confirmou (infelizmente) que sim, não é argumento de campanha, é apenas constatação de um facto!

Assim a classe política vive nestes joguinhos de falar entrelinhas em politiquês, tratando o Português eleitor como se de analfabeto se tratasse... Ou como se fala para um recém nascido!

É insultuosa a forma com que os políticos se dirigem ao País, aos Portugueses, ao eleitor... Achando que somos um bando de paramécias ou amibas sem qualquer tipo de feedback, reacção ou comentário aquilo que os senhores políticos apresentam como a verdade democrática inexorável...

Quem apela ao voto é apenas quem de uma forma ou outra beneficia com a existência do sistema nos moldes em que existe actualmente, porque cerca de quase 4 milhões de eleitores (3.875.022 para ser exacto...) estão se a cagar para o resultado final... Seja lá qual for, estes 4 milhões serão penalizados no seu quotidiano!

Para estes, não existe democracia, existe um sistema que os fode sistematicamente e pelo qual estes 4 milhões não acreditam, não tem qualquer esperança de mudança, de honestidade ou credibilidade na coisa pública!


Claro que os escribas dirão que os cadernos eleitorais estão errados... Mas nós que vivemos na era digital, que entregamos o IRS e outras contribuições electronicamente, não poderemos actualizar os cadernos eleitorais...É assim tão impossível? O que faz a CNE quando não há eleições? Todos nós pagamos a comissão nacional de eleições, para que funcione bem...


Outros dirão que quem se absteve não pode criticar "a posteriori"... Porquê?
Claro que pode, e deve manifestar a sua opinião... Ou não vivemos em Democracia? Temos que estar agregados a um partido ou concordar com um para ter opinião?
Supondo que eu quero eleger um deputado do PS pelo meu círculo eleitoral, mas quero um 1º ministro PSD, como faço??? Supondo que eu quero o 4º deputado da lista... Tenho que eleger os outros 3??? Isto não é democracia...

Votar, não é mais que passar um cheque em branco, para legitimar "hordas de gente sem escrúpulos" ao poder... E não vale a pena se chocar com estas frases, porque se isto acontece ao nível local/ regional, imaginem no panorama nacional/ internacional, só variam os montantes...

Portugal festejou a saída de Sócrates ( lembrem-se disso quando ele for candidato a Presidente da República...), aplaudiu Passos Coelho e Portas (lembrem-se disso quando nos espremerem até ao tutano!!!).

Seja lá como for, por preguiça, por desacreditar, por achar que nada muda, existem 4 milhões de Portugueses, para quem este sistema faliu, já não trás nada de novo, nem soluções, nem milagres, só dificuldades e austeridades...

Claro que a troco de mordomias várias e uma vida de luxo, qualquer um apelaria ao voto... Todavia de eleição para eleição constatamos que cada vez mais Portugueses descem o rating deste sistema...

É que depois de um presidente, um governo e um parlamento de direita, já experimentámos todas as hipóteses possíveis... Sabemos bem que nada mudará... Pelo menos para melhor!

Estamos perante o Movimento Civil " A cagar pró Sistema"

4 comentários:

  1. Não há maneira de furar o sistema eleitoral: os partidos escolhem as listas como querem e os eleitores têm de comer a junk food apresentada. Apesar de ainda aparecer um ou outro espécimen exótico, não há maneira de indicar que não se quer os outros da lista...

    ResponderEliminar
  2. Caro Hakeem:

    Talvez por aí se deva começar a travar esta luta!!!
    Eleições uninominais... :D

    ResponderEliminar
  3. Não estava a pensar em eleições uninominais. Estava a pensar em listas abertas ;)

    ResponderEliminar
  4. Por mim tanto faz... Desde que se possa eleger um elemento específico, pelas suas propostas!!! :D

    ResponderEliminar