22 setembro 2010

"Pushing Buttons"


Sempre tive amizades do sexo oposto, o que significa, que na afamada "guerra dos sexos" andei muitas vezes, bem além das "linhas do inimigo"...
É deveras interessante ouvir mulheres falar acerca de homens e relações...
Se é certo que como homem será necessário poder de encaixe e sentido de humor (elas não são meigas...), o que se aprende sobre os meandros da mente feminina é de um valor inestimável!
Todas diferentes, todas iguais...
Acho imensa piada ao vício das mulheres que arranjam um "petit nom" que descreve na perfeição um candidato, que sem dizer o seu nome, todos percebem de quem se trata...
Todas as mulheres idealizam o seu "Prince charming", rico como o Bill Gates, charmoso como o George Clooney, com os abdominais do CR7, um autêntico mix de qualidades idealizadas, sem defeitos ou frases do estilo " Querida, viste as minhas meias???"...
Algumas ficam terrivelmente desiludidas com o facto de saberem que não existe príncepe encantado e que os homens são na sua maioria básicos, com necessidades básicas e o que os diferencia é a polidez e o trato no sentido de colmatar essa basicidade... Elas normalmente gostam do género "perigoso" (rockeiro, militar, motard, tuner... e outras espécies de ninjas com outros "tratos" e duvidosa polidez!).
Quanto mais tempo a mulher passar na ilusão do homem ideal (e subsequentes inevitáveis desilusões...), maior é a probabilidade de ficar com o "Average Joe", um individuo normalíssimo sem nada de especial, a não ser a disponibilidade para a aturar...
As mulheres variam de uma forma muito similar ao clima de um país tropical, demasiado quentes, demasiado húmidas, onde a qualquer momento pode ocorrer uma tempestade tropical acompanhada com um furacão (regra geral também com nome de mulher...) e chuvas intermináveis.
Conseguem ser as criaturas mais afáveis do mundo e ao mesmo tempo as mais frias, amar-nos com a mesma intensidade que nos odeiam...
Se um homem dá atenção a mais, está a sufocar, se a menos, já não a ama...
E os direitos proclamados por feministas e a lei da paridade, nada mais hipócrita, quando tudo o que nos rodeia é marketizado por mulheres de dimensões adulteradas, seja por bisturi ou photoshop... Onde tudo o que é produto ou serviço, carrega no botão básico da masculinidade!!!

Tudo isto torna a tarefa de ser homem inglória, ingrata e não raras as vezes totalmente incompreendida, por tentarem agradar à imprevisibilidade humorística, destes seres que:
Idolatram sapatos...Decoração casa, jardim...Esteticista/Spa...Compras...Falar de outras mulheres...Bebés e todo um arsenal de coisas inerentes!!!

No fundo conhecer uma mulher é como que operar uma nave espacial imensa, sem fazer a minima ideia onde é a ignição...o acelerador...travões...lasers...escudo...e tudo o resto que faz parte de uma nave!!! E acredito que depois de passar a vida inteira com a mesma mulher, seja impossível saber para que servem todos os botões...Ou sequer comprovar a existência de tais botões...
SOOOO... Keep Pushing Buttons!!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário