15 novembro 2009

Esfaqueando o cadáver moribundo da III República!


Esta despudorada Senhora, com os seios ao léu, já vai na sua 3ª Edição em Portugal, mas longe vão os tempos da sua esbelta figura (se é que algum dia os teve...) é que 100 anos é muito tempo!
Não é uma questão de regime, República ou Monarquia, Socialismo ou Capitalismo, esquerda ou direita é apenas uma questão de direitos e deveres em igualdade de circunstâncias para todos os cidadãos, "tout court"...
Passados 35 anos da revolução dos cravos, vejo que a liberdade e democracia que tanto apregoam é apenas uma miragem, um véu de cobertura para executar as mais torpes tropelias ao cidadão, que sob o pretexto da legalidade é assaltado diariamente nas suas mais básicas necessidades e nos seus mais básicos direitos!
Sempre tive a noção de que o Estado servia os cidadãos e tomava medidas por forma a melhorar o nível e as condições de vida de todos sem excepção, combatendo a injustiça, a discriminação e promovendo a prosperidade do País...
Afinal estava enganado...
Como pode um político exigir aos seus cidadãos que cumpram as leis que ele criou, quando o próprio é suspeito de um sem número crimes?
Como nos podemos considerar um país desenvolvido, se 20% da população está no limiar da pobreza e existe tanta fome e doença!?
Para quê criar leis, se os criadores destas leis estão sempre acima das mesmas???
Para quê eleger representantes democráticos, se eles não representam a nossa vontade, interesses ou direitos???
Para quê pagar impostos se eles são canalizados para fins de transparência duvidosa?
Porquê estar sujeito a regras e regulamentos aplicáveis apenas a pessoas honestas e cumpridoras?
Qual a credibilidade da classe política depois das novelas que assistimos à pala da pedofilia, de sobreiros, submarinos, licenciaturas, banca, centros comerciais, sucateiros, futebol e tantos outros que morrem no esquecimento de um qualquer arquivo, pela facilidade que existe em comprar resultados ou a falta deles???
Os pilares deste regime desmoronam-se dia após dia, a uma velocidade alarmante e a crise que tanto falam já existe há muito tempo, não esperem investimento privado quando se sabe, que para o privado ter sucesso tem que estar "umbilicalmente" ligado ao público...
Não esperem que as pessoas comecem a consumir desenfreadamente com o poder de compra miserável que têm, que mal chega para sobreviver...
Não esperem que existam soluções milagrosas enquanto estivermos neste caminho de "transparência opaca", onde a verdade é tudo menos aquilo que se ouve...
A urgência de mudança está à vista, a reforma do nosso sistema político também, bem como dos seus principais intervenientes, muito acomodados às suas principescas mordomias legitimadas por todos nós...
Legisladores que legislam em proveito próprio!
Não se escandalizem com o "Face Oculta" e com o sucateiro esperto que "mamou" descaradamente... Porque esta forma de actuar em Portugal é recorrente para quem tem uma réstia de poder...
Quantas autarquias e organismos públicos são autênticos especuladores imobiliários?
É a maneira de fazer as coisas em Portugal, o subornozinho, a comissãozinha, o jantarinho, o presentinho, etc... É isso que tem que mudar!
Não vale a pena falar em separação de poderes quando é por demais óbvio que ela não existe!
Não vale a pena reformular a justiça se ela não é aplicável a certos estratos sociais ou categorias profissionais!
Não vale a pena investigar, se no final despedem o investigador, ou julgar, se no final despedem o Juiz!
Esta Máfia Lusitana que se instalou em Portugal, domina todos os lugares cimeiros do poder e cada dia que passa se torna mais forte e inatingível, perpetuando assim o seu comportamento obscuro e devasso para a qualidade de vida do Português comum!
A hora de uma nova revolução aproxima-se a passos largos... Preparem-se!

Sem comentários:

Enviar um comentário