23 fevereiro 2007

21 de Fevereiro de 2007

Não posso dizer que não estava a contar, mas certamente não estava preparado e acho que nunca iria estar...Tinha ido ver a minha avó ao hospital no Domingo e não quis acreditar que era a ultima vez que a via...
Quis sair daquele lugar funebre com a esperança de que tudo ia ficar bem...Mas não ficou!
Tu, avó que foste mais que mãe para mim e que durante anos aturaste a minha adolescência rebelde como só uma avó consegue, tu que me ensinaste coisas das quais eu desconhecia a existência, tu avó que eras a fonte da vida e força, apesar das doenças que te atormentavam, deixastes te ir devagarinho na corrente incontornável da morte, compreendo-te, foram muitos anos de sofrimento e angústia, já há mais de 20 anos que te conheço assim, mas no ultimo dia que te vi, não vi a tua força, nem a tua garra, nem a tua vontade de viver e aí, não quis perceber, mas tinha chegado a tua hora!
Lamento todo o tempo que não passei contigo, mas não poderia ter sido de outra forma e sei que me vai custar muito saber que não estás lá naquele lugar que foi tão especial durante a minha vida e do qual tu fazias parte, mas vou ter sempre saudades tuas e das coisas que me dizias!
Sei que estás bem porque não sofres mais, mas não consigo deixar de pensar, "porquê agora?".
Até um dia avó, tenho saudades tuas e apesar de saber que este dia ia chegar, não queria que chegasse nunca!
Foste muito para mim e ainda és...sempre!
Amo-te muito avó e vou ter imensas saudades tuas, até um dia...

1 comentário:

  1. Tens sorte em poder lembrar-te de uma avó assim, do quanto gostava de ti, da garra que tinha... Nem toda a gente tem essa sorte. E acredito que custe mais para pessoas na tua situação do que na minha. Força!

    ResponderEliminar