23 novembro 2006

Uma vida de passeio...

Tenho uma noção muito apurada da função desempen(h)ada pelas forças armadas neste país...A meu ver, desde o 25 de Abril de 1974, ela pura e simplesmente não serve para nada.
Neste momento, só se alista nas forças armadas quem não quer e/ou não sabe fazer mais nada... Faz umas missões ao Kosovo, Bósnia ou Indonésia, bebe umas cervejas durante 6 meses e volta cheio de dinheiro...e aí continua a beber cervejas.
Como estas "criaturas", têm uma existência forrada pela inutilidade, não tem qualquer motivo, a meu ver, para se manifestarem, foi-lhes vedado esse direito pela lei, então como não se podem manifestar, eles passeiam-se...que é absolutamente legal, mas passear é o pão nosso de cada dia para os militares, o que significa que mesmo a reinvindicar o que quer que seja, estes senhores estão a trabalhar...À maneira deles, mas estão!!!
Outros senhores que querem seguir o mesmo exemplo, porque também acham que trabalham muito, são os membros da P.S.P e G.N.R, que exigem regalias idênticas aos militares...
Não percebo que regalias mais podem ter estas pessoas com instrução mínima, motivação mínima e trabalho mínimo... Os salários que auferem, comparativamente às funções que desempenham e à sua respectiva instrução é exageradamente exagerado (passo a redundância).
E que tal se começassem todos a trabalhar sem ser para deixar crescer o bigode e a barriga e no lugar de incorporar analfabetos, investissem na real formação dos seus membros, no lugar de pedirem a reforma aos 50 anos?

Sem comentários:

Enviar um comentário