14 agosto 2006

The roof, the roof, the roof is on fire... we don´t need no water, let the mother fucker burn, burn mother fucker, burn!

Mais um ano, mais um Verão, mais do mesmo... e tudo a arder!
Todos os anos a história repete-se, apenas mudam as localidades....O nosso Portugal arde de Norte a Sul, sem que ninguém possa alterar essa catástrofe, bem como as consequências a curto, médio e longo prazo.
Se pensarmos bem muitos são aqueles que ganham com os incêndios e por uma vez a solução está no poder legislativo e não na prevenção e limpeza de matas ou até a aquisição de meios...
Ganha o madeireiro que até tem uma serração e compra a madeira muito abaixo do preço de custo.
Ganha o comandante dos bombeiros que até vende material anti fogo.
Ganha o país ou empresa que fornece os meios aéreos.
Ganha o presidente da câmara e respectivos Engenheiros civis, Arquitectos, empresas constructoras, zonas para desenvolvimento, instalações turisticas, residenciais ou até industriais.
Ganham todos aqueles que tem planos de construcção para determinada zona, ou querem a desafectação de reserva ecológica nacional, então chega-lhe fogo...
Assim é fácil prever onde serão os próximos incêndios...
Há poucos anos, por todo o Algarve o fogo lavrou um incêndio gigantesco, neste momento para o mesmo sítio está projectado um dos maiores empreendimentos turísticos do país, com o pretexto de reabilitar o local...
Este ano o Parque Nacional da Peneda Gerês, onde brevemente surgirá um empreendimento turístico... Valongo, uma zona em constante crescimento com necessidade de locais de expansão, este ano ardeu...
As matas limpas, acessos, meios humanos, terrestres e aéreos, ajudam, mas não ajudam mais do que a vontade de alguns e os seus respectivos interesses económicos...
Medidas governamentais sérias concretas e concisas, são a solução para este problema, a par com as campanhas de prevenção, guardas florestais, vigilantes e incentivos à reflorestação e introdução de espécies tipicamente portuguesas ou autoctónes de cada região, juntamente com a subida do preço da madeira queimada, das penas de prisão e a não alteração das características do local após incêndio no plano director municipal, ou seja, se é reserva agricola ou ecológica, após um incêndio... o uso do solo é o mesmo e a sua designação também, procedendo-se à sua recuperação imediata.
Talvez assim tudo se torne menos catastrófico e existam menos interesses envolvidos...
Entretanto falta referenciar o que vamos viver no próximo Inverno...
Com a falta de suporte do solo (as raízes das árvores...), os desmoronamentos, deslizes, enxurradas, assoreamento dos rios e diminuição da profundidade dos leitos conduz a cheias mais frequentes e a uma qualidade de água muito baixa devido às partículas em suspensão...
Isto para não falar no Dióxido de Carbono que a árvore ia "comer" e o Oxigénio que ia "libertar", nos próximo 20 ou 30 anos...
Pensem à frente e a longo prazo, a riqueza é maior, mais certa e para todos...O pensar individualmente no seu bolso em vez do bem estar de todos, mais cedo ou mais tarde tornar-se-à no teu maior inimigo...

2 comentários:

  1. Olá.

    Descobri o teu blog e acabei por delicar-me com os teus pensamentos, mas não concordo uma parte deles. Sucesso para o blog. volto em breve. ;)

    ResponderEliminar